Menu
Busca segunda, 02 de agosto de 2021

Colete de cinegrafista morto era do tipo II-A, diz Sindicato dos Jornalistas

Colete de cinegrafista morto era do tipo II-A, diz Sindicato dos Jornalistas

08 novembro 2011 - 13h50
IG


O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio afirmou nesta segunda-feira (7) que o colete à prova de balas utilizado pelo cinegrafista Gelson Domingos, morto no último domingo após ser atingido no peito por um tiro de fuzil no Rio de Janeiro, não era o divulgado pela TV Bandeirantes.

De acordo com a entidade, que teve acesso ao equipamento utilizado pelo cinegrafista durante a cobertura jornalística de uma operação policial na Favela de Antares, o colete era do tipo II-A e não o que tem maior poder de defesa, o III-A.

Em nota, o sindicato divulgou que "este tipo de indumentária protege contra tiros de armas como 9mm, com potencial bem abaixo dos fuzis usados em confrontos no Rio de Janeiro".

O colete também teria sinais de desgaste e a placa da parte da frente, que foi perfurada pelo tiro, apresenta data de 2003. Nas especificações na parte interna do material, o equipamento vence em outubro de 2013.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INVESTIGAÇÃO EM SP
Homem leva menina de 15 anos ao hospital e diz que ela morreu após sexo; polícia investiga
ECONOMIA
Impostômetro atinge a marca de R$ 1,5 trilhão
Esse é o montante pago em tributos federais, estaduais e municipais
EDUCAÇÃO
Volta às aulas: especialistas explicam em 10 pontos como fazer um retorno mais seguro
ESPORTES
Bronze olímpico nos 50 m livre coroa regularidade de Bruno Fratus