Menu
Busca sexta, 23 de abril de 2021

Dilma defende Graça Foster e diz que demissão não é necessária

Dilma defende Graça Foster e diz que demissão não é necessária

23 dezembro 2014 - 10h00Por G1
A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (22) em café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto que a situação da presidente da Petrobras, Graça Foster, “não é fácil”, por causa da pressão sobre a estatal, mas defendeu a executiva das denúncias de corrupção na empresa e disse que não vê necessidade de que Foster saia do cargo.

Em entrevista exclusiva à repórter Glória Maria, exibida no Fantástico deste domingo (21), a ex-gerente da Petrobras Venina Velosa da Fonseca afirmou que “percebeu que havia irregularidades” na estatal em 2008 e que, desde então, reportou problemas aos superiores, entre eles o gerente-executivo, diretores e a atual presidente, Graça Foster.

“Ela [Graça Foster] disse que, diante de toda essa exposição, se a Petrobras for prejudicada de alguma forma – ou o governo – ela, então, coloca o cargo à disposição sem o menor constrangimento. Eu falei para ela que, do meu ponto de vista, isso não é necessário”, afirmou Dilma.

“A situação dela não é uma situação fácil. Ela recebe todos os dias uma pressão que poucas pessoas seguram - e ela segura, pelos compromissos que ela tem com a Petrobras. Acho que criou-se um clima sem apontar sequer uma falha dela. Mas só porque o clima está muito difícil para ela eu preciso tirá-la? Eu penalizo ela por algo que não é responsabilidade dela? A quem interessa tirar a Graça Foster? O que tem por trás disso? ”, complementou.

As suspeitas de irregularidades na Petrobras foram apontadas pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, deflagrada em março deste ano para apurar esquema de lavagem de dinheiro. As investigações apontaram para um esquema de desvio de verbas e superfaturamento em obras da estatal.

Diante das denúncias de irregularidades, diversos órgãos de controle do governo decidiram investigar a estatal. O Tribunal de Contas da União (TCU), a Controladoria-Geral da União (CGU), o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) abriram processos para apurar denúncias como pagamento de propina a funcionários por empreiteiras, superfaturamento de obras e pagamento de serviços que não foram realizados por empresas contratadas pela Petrobras.

A presidente classificou ainda de “simplismo absurdo” alguém dizer que Graça Foster tinha conhecimento do esquema de corrupção na Petrobras. Ela destacou também que não há provas contra “qualquer conduta” de Graça Foster à frente da Petrobras e, ao defender a atual presidente da estatal, disse conhecer a chefe da empresa e saber da “seriedade” com que Graça comanda a companhia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTÍCIAS
TJMS regulamenta atendimento por meio do Balcão Virtual
GERAL
Pão francês só poderá ser comercializado por quilo, a partir de junho
NOVA ALVORADA DO SUL
Policiais civis prendem suspeito de homicídio
CORUMBÁ
Polícia Militar prende dupla por tentativa de assalto a mão armada