Menu
Busca segunda, 14 de junho de 2021

Jovem é morta por amigas de 12 e 13 anos por briga banal

Jovem é morta por amigas de 12 e 13 anos por briga banal

26 abril 2012 - 15h00
G1


Uma criança de 12 anos e uma adolescente de 13 foram apreendidas suspeitas de matar uma outra adolescente por motivo banal segundo informações da Polícia Militar (PM) de Sobral, região norte do Ceará. De acordo com o comandante da PM na cidade, o coronel Gilvandro Oliveira, a família da vítima afirma que ela estava grávida de aproximadamente dois meses. A garota que morreu tinha 13 anos, o corpo foi enviado ao Insituto Médico Legal (IML), para verificação.

O crime, segundo o coronel, ocorreu por volta das 21h no Bairro Terrenos Novos. De acordo com o depoimento prestado na Delegacia Regional de Sobral, a criança de 12 disse ter sido agredida pela vítima há alguns dias e "ainda estava chateada" com o fato. Ao conversar com uma outra adolescente na frente de casa e contar sobre a suposta agressão, foram surpreendidas pela presença da agressora na mesma rua.

Ainda conforme o depoimento, a criança chamou a jovem que morreu para se juntar à conversa. Ela atendeu o chamado porque as duas eram amigas, mesmo com a ocorrência da suposta agressão. Logo que se aproximou das duas, a menina de 12 anos entregou uma faca para a amiga de 13. A adolescente atingiu a jovem no tórax. Cerca de duas horas depois, a jovem morreu na Santa Casa de Sobral.

As duas suspeitas do crime fugiram, mas foram encontradas por policiais militares pouco tempo depois. Elas foram levadas para a delegacia onde prestaram depoimento. “Total banalização. Mataram a outra por uma briga, porque deu vontade”, afirmou o coronel Oliveira que acompanhou toda a ocorrência.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Barroso suspende quebra de sigilo de dois servidores da Saúde em CPI
POLÍTICA
Lira: relatores da reforma tributária serão definidos nesta semana
CRIME AMBIENTAL
PMA autua arrendatário em R$ 10 mil por derrubada de árvores para exploração de madeira
MS
Variante em circulação é 2,4 mais transmissível e esperança está nas medidas restritivas afirma SES