terça, 27 de fevereiro de 2024

Liga Árabe rejeita intervenção militar na Síria e ONU alerta para crimes

Liga Árabe rejeita intervenção militar na Síria e ONU alerta para crimes

01 junho 2012 - 13h20
agencia brasil


O secretário-geral da Liga Árabe, Nabil Al Arabi, rejeitou hoje (1º) a possibilidade de intervenção militar na Síria para encerrar a série de violência por que passa o país há quase 15 meses. Porém, os norte-americanos indicaram considerar insuficientes as ações diplomáticas em curso para acabar com o impasse na região.

A situação na Síria agravou-se nos últimos dias em decorrência do massacre de 108 pessoas, em Houla, no Centro do país, inclusive de crianças. A oposição responsabiliza o governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, pelos assassinatos.

A alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Navi Pillay, disse hoje que há indícios de crimes contra a humanidade no massacre. Segundo sua porta-voz, Márcia Kran, há “sérias suspeitas” que em Houla famílias inteiras tenham sido executadas de maneira sumária, incluindo mulheres e crianças.

“[Há] informações que sugerem que as milícias pró-governamentais entraram em povoados e que podiam ser responsável por dezenas de assassinatos”, disse Navi Pillay, na quarta sessão especial do Conselho sobre a Síria. Ela reiterou o apelo à comunidade internacional para apoiar o plano de paz e investigar as violações na Síria para evitar um "conflito geral" no país.


*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE

País tem quase 20 mil novos diagnósticos de câncer de pênis em 9 anos

CONSUMIDOR

Projeto proíbe comprar imóveis, carros e obras de arte com dinheiro vivo

SAÚDE

Brasil já registra metade dos casos de dengue contabilizados em 2023

GESTÃO PÚBLICA

Titular da pasta de parcerias estratégicas de MS recebe prêmio nacional de infraestrutura na B3