Menu
Busca terça, 11 de maio de 2021

Mulher morre ao pisar em poça de água

Argentina de 47 anos visitava amiga e morreu após pisar em poça de água

08 janeiro 2013 - 13h00
G1



A Polícia Civil investiga a morte de uma mulher de 47 anos na noite de segunda-feira (7), em Porto Alegre. A pecuarista argentina Norma Adriana Gonzales chegava ao prédio onde mora a amiga Anelise Carvalho Figueiredo, acompanhada dela, e morreu após receber uma descarga elétrica ao pisar em uma poça de água. A amiga e outros populares tentaram socorrer a vítima, mas ela não resistiu. "A gente tocava nela e recebia choques", lembrou a psiquiatra Anelise.

O acidente ocorreu por volta das 21h, na Avenida Andaraí, próximo à Avenida Plínio Brasil Milano, na Zona Norte. A rua estava alagada devido à forte chuva que atingiu a capital gaúcha.

A amiga de Norma contou como ocorreu o acidente. Segundo ela, as duas desceram de um táxi nas proximidades do prédio e, ao chegarem até o portão de entrada, a argentina foi eletrocutada. "Não vi (se ela tocou no portão). Como ela estava de tênis e eu de salto alto, ela estava caminhando mais rápido, na minha frente. Só vi quando ela gritou, foi arremessada pelo choque e caiu na água", contou, em entrevista à Rádio Gaúcha.

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil isolaram o local. Uma equipe de perícia foi acionada e a polícia aguarda, ainda nesta terça, as imagens das câmeras de segurança do prédio para auxiliar na investigação, além do depoimento de testemunhas. A ocorrência foi registrada na 3ª Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA), e o caso será acompanhado pela 9ª Delegacia de Polícia.

De acordo com Anelise, o corpo de Norma foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), e seria liberado por volta das 10h. Os familiares da argentina foram informados e o corpo deve ser levado para seu país de origem, onde será sepultado.

"Ela tomou um choque muito forte e caiu. Pode inclusive ter se afogado em função da água estar muito alta. Mas inicialmente foi pelo choque", disse o inspetor de polícia André Rodrigues da Silva. O laudo do IML deve ficar pronto em aproximadamente um mês.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO
Deputados devem votar cinco propostas na Ordem do Dia desta terça-feira
TRÊS LAGOAS
PMA autua mulher por maus-tratos ao se mudar e deixar cinco cachorros e galinhas sem alimento
POLÍTICA
Governo destina R$ 5,5 bilhões para produção e aquisição de vacinas
TEMPO
MS tem predomínio de tempo seco e calor de 36°C para a região pantaneira