Menu
Busca quinta, 15 de abril de 2021

Reforma do ensino médio será desafio para Cid Gomes na Educação

Reforma do ensino médio será desafio para Cid Gomes na Educação

03 janeiro 2015 - 09h45Por Agência Brasil
A reforma do ensino médio foi apontada pelo ministro da Educação, Cid Gomes, como um dos desafios a ser enfrentado na sua gestão à frente da pasta. Na cerimônia de transmissão de cargo, o ministro se dirigiu aos professores e afirmou que eles terão seu trabalho reconhecido e valorizado. Gomes disse ainda que vai trabalhar para atingir as metas do Plano Nacional de Educação. O ex-governador do Ceará assumiu hoje (2) a pasta que era comandada por Henrique Paim.

“No ensino médio temos um desafio especial, que é, além de ampliar o acesso, reformar o seu currículo, compreendendo as características regionais de cada estado e município brasileiro. Para que tenhamos êxito, será necessário todo o apoio de professores e universidades”, disse.

Ao se dirigir aos professores, Cid Gomes disse que estará aberto ao diálogo com a classe. “Gostaria de me dirigir a todos os professores brasileiros. Sou filho e irmão de professores. Minha experiência como prefeito e governador me ensinou ainda mais sobre a necessidade do corpo docente. Pretendo me reunir com seus representantes, vamos valorizar e reconhecer seu trabalho. Meu gabinete estará sempre aberto para receber conselhos, críticas e ajuda”, disse. Em entrevista a jornalistas, depois da cerimônia, ele acrescentou que pretende discutir formas de avaliação para os professores.

O novo ministro citou que tem por metas ampliar as vagas de ensino em tempo integral e o atendimento a crianças de até 3 anos de idade nas creches, além de universalizar o acesso das crianças de até 5 anos à pré-escola. Melhorar a qualidade do ensino fundamental e continuar a expansão do ensino superior também foram desafios citados por Gomes.

Cid Gomes iniciou o discurso fazendo referência ao novo lema de governo, apresentado ontem (1°) pela presidenta Dilma Rousseff, ao tomar posse para o segundo mandato: “Brasil: pátria educadora”. “A educação será a prioridade das prioridades como nos disse a presidenta Dilma”, observou.

O ex-ministro Paim disse que, ao deixar o cargo, encerra também um ciclo de 11 anos no Ministério da Educação (MEC), e fez um balanço de sua gestão e dos avanços dos últimos anos na área. Paim destacou como principal conquista a implantação da política de cotas. “A lei de cotas, considero a política mais importante que este governo fez. Conseguimos inverter a lógica de que só estudantes de escolas privadas conseguiam acessar as universidades públicas neste país”, disse.

Paim ainda citou a consolidação de avaliações feitas pelo MEC, o estabelecimento de um padrão sólido de relação com estados e municípios e políticas de formação dos professores.

Cid Gomes terá um início de gestão movimentado. Na primeira semana de janeiro deve divulgar o reajuste do piso nacional dos professores. O reajuste é determinado por lei e o cálculo do percentual é feito por técnicos do ministério. Na segunda semana de janeiro será divulgado o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e, em seguida, abertas as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Gomes é formado em engenharia civil pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Foi eleito prefeito de Sobral em 1996 e em 2000. Em 2006, elegeu-se, em primeiro turno, governador do estado, e também coordenou a campanha de Luiz Inácio Lula da Silva para o segundo mandato presidencial. Em 2010, foi reconduzido ao cargo de governador.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORREDOR BIOCEÂNICO
Após suspensão de licitação, governo requisita novo cronograma para obra de ponte sobre Rio Paraguai
JUSTIÇA
STF confirma decisão que determinou a abertura de CPI da Pandemia
POLÍTICA
Senado debate adiamento do reajuste de preços de medicamentos
NAVIRAÍ
Polícia Civil incinera 1,2 tonelada de drogas