Menu
Busca terça, 13 de abril de 2021
BRASIL

Saúde atualiza dados e confirma 62.290 novos casos de covid-19

Recuperados superam 7 milhões e são 88,5% do total de casos

10 janeiro 2021 - 08h00Por Agência Brasil

O Brasil contabilizou 62.290 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 8.075.998 pessoas infectadas desde que o novo coronavírus chegou ao país, em fevereiro de 2020.

Segundo o Ministério da Saúde, nas 24 horas anteriores também foram confirmadas mais 1.171 mortes em decorrência de complicações causadas pelo vírus. Com isso, o total de pacientes que perderam a vida chegou a 202.631 pessoas.

Entre os casos já confirmados, 7.114.011 pacientes se recuperaram, o que representa 88,5% do total de pessoas que adoeceram. No entanto, outras 729.356 pessoas continuavam sob acompanhamento médico até as 17h30 de sábado (9) - o que representa 9% do total. Outros 2.595 casos considerados suspeitos seguem em investigação, aguardando o resultado dos testes.

Covid-19 nos estados

Entre os estados com maior número de mortes por covid-19, São Paulo aparece em primeiro lugar em números absolutos, com 48.298 óbitos - 269 a mais do que o resultado do boletim epidemiológico que o Ministério da Saúde divulgou sexta-feira (8).

Ainda em números absolutos, em seguida vêm os estados do Rio de Janeiro, com 26.704 (+ 224); Minas Gerais, com 12.594 (+125); Ceará, com 10.137 (+15), e Pernambuco, com 9.826 (+37).

As unidades da Federação com menor número de óbitos por covid-19 são Roraima, com 793 óbitos, e o Acre, com 823. De acordo com o boletim divulgado pelo ministério, não houve registro de novas mortes nos dois estados de ontem para hoje.

Em seguida vem o Amapá, com 969 falecimentos (+7); Tocantins, com 1.267 (+4); e Rondônia, com 1.908 (+9).

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPERAÇÃO HÓRUS
Veículo furtado com quase meia tonelada de maconha foi recuperado pelo DOF
EDUCAÇÃO
Prouni: MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes
JUTI
Polícia Militar apreende veículo com chassi adulterado
COTAÇÃO
Dólar fecha acima de R$ 5,70 em meio a incertezas políticas e fiscais