Menu
Busca segunda, 14 de junho de 2021
AMAMBAI

Assassino de ex-prefeito é condenado a 16 anos de prisão

01 maio 2021 - 07h45Por Dourados News

O trabalhador rural Luis Fernandes, de 55 anos, foi condenado a 16 anos de prisão em regime inicial fechado pelo assassinato de Dirceu Luiz Lanzarini, ex-prefeito de Amambai morto aos 62 anos após ser alvejado a tiros no final da manhã de 24 de fevereiro de 2020 em uma fazenda da qual era proprietário, na zona rural do município. 

Capataz da vítima na época do crime, o réu foi julgado nesta sexta-feira (30) pelo Tribunal do Júri de Amambai, em sessão iniciada às 10h. A sentença foi lida pouco depois das 22 pela juíza Thielly Dias de Alencar Pithan e Silva, que presidiu o júri popular ao longo das mais de 12 horas de julgamento, transmitido ao vivo pelo Youtube. 

Entre a acusação feita pelos promotores de Justiça Michel Maesano Macuelho e Tiago Barbosa da Silva - que tiveram a viúva de Lanzarini como assistente de acusação, representada pelo advogado Jose Roberto Rodrigues da Rosa -  e a defesa encampada pelo advogado André Luiz Prieto, o conselho de sentença considerou Luis Fernandes culpado pelos crimes de homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo.

No entanto, o réu foi absolvido da denúncia de tentativa de homicídio contra Kesley Aparecido Vieira Matricardi, de 34 anos, genro de Lanzarini, que também foi ferido pelos disparos de arma de fogo efetuados contra a caminhonete em que estavam. 

Outro ponto da acusação feita pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual) refutado pelos jurados foi o crime de posse de arma de fogo. Ainda na fase de inquérito policial, a esposa do assassino informou que o revólver calibre 38 usado no crime havia sido entregue pela vítima fatal há 8 anos, para segurança da fazenda. Quanto à espingarda, disse que também pertencia à propriedade rural.

Luis Fernandes participou do julgamento por videoconferência. Ele está preso desde o dia 12 de março de 2020 e alegou ter atirado para revidar uma suposta tentativa de atropelamento. Disse ainda que Lanzarini teria aplicado um tapa em seu chapéu, em direção à sua face, e sacado uma arma de fogo, que apontou em sua direção, mas conseguiu atirar primeiro, “apenas se defender”. A defesa argumentou que os ferimentos no genro da vítima fatal foram acidentais, já que não havia intenção de atingi-lo.

Além de manter a prisão preventiva do réu, a juíza também fixou indenização à família da vítima no valor de R$ 25 mil.

Conforme a peça acusatória, o crime aconteceu na manhã do dia 24 de fevereiro de 2020, por volta das 09h15, quando as vítimas Dirceu Luiz Lanzarini e Kesley Aparecido Vieira Matricardi foram até a fazenda Jaçanã, na zona rural de Amambai, de propriedade da do ex-prefeito, onde Luis Fernandes trabalhava. 

Logo depois de ser indagado pelo patrão sobre trabalho, plantio, o capataz sacou o revólver que portava cintura e efetuou disparos de arma de fogo contra as vítimas. Na condução da caminhonete, Matricardi acelerou para tentar fugir mesmo baleado em um dos braços e no pescoço, mas Lanzarini acabou ferido na cabeça.

Após o socorro, o ex-prefeito de Amambai foi transferido para um hospital particular de Dourados, mas não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO
Embrapa Agropecuária Oeste faz 46 anos e Neno Razuk parabeniza trabalho de pesquisa no MS
SAÚDE DO HOMEM
SES realiza capacitação para profissionais da Atenção Primária de Saúde
INOCÊNCIA
Polícia Militar prende homem por perturbar a tranquilidade e danificar carro de pai idoso
JUSTIÇA
Barroso suspende quebra de sigilo de dois servidores da Saúde em CPI