Menu
Busca sábado, 08 de maio de 2021

Doze dos candidatos ao Conselho Tutelar de Ponta Porã entraram com recurso junto à Justiça Eleitoral, nesta terça-feira (4) para impugnar o pleito, diante de uma série de denuncias de irregularidades apontadas pelos reclamantes.

05 dezembro 2012 - 10h55
Mercosulnews

Adair José Soares da Silva, Adriano Rodrigues de Lima, Kelly Cristina de Matos Florenciano, Karla Fernanda Soares, Mirian Chaparro Icassati, Sandra Pistório, Sirlei Corneli de Lima Ximenez, Vagner Marques, Carla de Fátima Oliveira Ramos, Eliel dos Santos, Márcia Carrapateira e Vânia Galeano Mafuci denunciaram ao Ministério Público, que deve oferecer parecer ainda neta quarta-feira, dando conta de que foram vistos muitos ônibus, microonibus, vans e veículos de passeio transportando eleitores.

Além disto, apontaram que apesar de terem recorrido à presidente do CMDCA, Edna Teixeira, esta teria dito apenas que registrassem tudo em ata e que ela não poderia fazer nada naquele momento. A Polícia Militar também teria sido acionada, mas alegou não ser de sua competência intervir.

Outras denúncias revelam que uma das urnas, a do Jardim Marambaia, chegou atrasada e que a chave estaria com o marido de uma das candidatas vitoriosas. Denunciaram inclusive que a apuração dos votos foi conturbada e que os votos ficaram misturados, sem ser possível identificar de que urna cada voto saiu. Outra acusação é a de que uma das candidatas teve acesso a todo o material de votação, como cédulas, urnas e livro de eleitores.

O Ministério Público disse que se manifestaria na tarde desta quarta-feira sobre se acata ou não a denúncia e se vai apurar os fatos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
PMA realiza fiscalização por terra e nos rios em prevenção à pesca predatória
GERAL
Número de mortos em operação no Jacarezinho sobe para 29
COSTA RICA
Trio é preso pela PM com tabletes de substância análoga a maconha
ESPORTE
Fundesporte e Assomasul debatem organização da 17ª Copa Assomasul