Menu
Busca domingo, 19 de setembro de 2021
MS

Em alusão ao mês da diversidade sexual, Agepen publica normativa sobre acolhimento de presos LGBT+

17 maio 2021 - 15h45Por Portal Governo MS

A Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) estabeleceu parâmetros para acolhimento de pessoas que se identificam como LGBT+ em unidades penais de Mato Grosso do Sul. A Portaria foi publicada no Diário Oficial do Estado, desta segunda-feira (17).

A intenção é proporcionar dignidade, respeito e igualdade de direitos durante o cumprimento de pena. Considera-se para fins da normativa quem se autodeclara como Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou com outras orientações sexuais e identidades de gênero não contempladas pela sigla.

No início do mês, o Governo do Estado, por meio da Subsecretaria de Políticas Públicas LGBT, lançou a campanha oficial “Maio da Diversidade LGBT+ 2021”. A campanha celebra os 10 anos da Lei nº 4.031, de 26 de maio de 2011, que instituiu o dia 17 de Maio, como o Dia Estadual de Combate à Homofobia em Mato Grosso do Sul.

Conforme a publicação, a pessoa travesti ou transexual em privação de liberdade tem o direito de ser chamada pelo nome social, de acordo com o seu gênero. Por questões de segurança e especial vulnerabilidade, deverão ser oferecidos espaços de vivência específicos.

Em caso de prisão da pessoa autodeclarada parte da população LGBT+, o local de privação de liberdade deverá ser definido pelo Poder Judiciário, observando as disposições contidas na Resolução nº 348, de 9 de outubro de 2020, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Deverá ser garantido às mulheres transexuais tratamento isonômico ao das demais mulheres em privação de liberdade.

Além disso, será facultado o uso de roupas femininas ou masculinas, conforme o gênero, e a manutenção de cabelos compridos, se os tiver, garantindo seus caracteres secundários de acordo com sua identidade de gênero, dentre outros direitos assegurados.

A Portaria está disponível no site da Agepen, na Aba Legislação Estadual (clique aqui).

Folders

Idealizado por servidores do Instituto Penal de Campo Grande (IPCG), um material informativo foi criado com a intenção de levar conscientização a todas as unidades penais do estado, entre custodiados e servidores. Com apoio da Defensoria Pública de MS, foi possível realizar a impressão de 2 mil cópias dos folders.

Em alusão ao Dia Internacional de Combate à Homofobia – 17 de maio – o material aborda os principais direitos tratados na Resolução nº 348/2020 do CNJ, bem como, informações sobre nomenclaturas e telefones úteis em caso de denúncia.

Ao todo, foram impressos 2 mil exemplares do material informativo que será distribuído em todas as unidades penais de MS.

“Os pontos a serem tratados no material foi levantado pela própria população LGBT+ aqui da unidade, realizamos uma roda de conversa e eles nos apresentaram as ideias, e resolvemos montar esse folder como forma de levar conscientização aos servidores e internos. Não é dar mais direitos a eles, e sim proporcionar direitos iguais”, informou a servidora, assistente social Liliane Amarilha, uma das idealizadoras do projeto.

Presente na entrega, o coordenador do Núcleo Institucional do Sistema Penitenciário (Nuspen), defensor público Cahuê Duarte e Urdiales, explica que os impressos servirão para conscientizar até mesmo os servidores.

Cahuê parabenizou a iniciativa que vai contribuir na conscientização sobre o assunto.

“Sabemos que o ambiente prisional é construído para receber apenas homens. A iniciativa de disseminar esse conhecimento é um marco porque começamos a visualizar essas pessoas dentro do sistema, além do sistema individual. A questão não é ter mais ou menos direito, é ter respeito”, pontuou.

O material informativo foi idealizado pelos servidores Liliane Amarilha e Cleverton Henrique Leal, e contou com apoio de um interno para edição gráfica.

Também estiveram presentes na entrega o coordenador do Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh), defensor público Mateus Sutana e Silva; a assessora jurídica de defensor, Valéria das Neves Simões; o diretor do IPCG, Francisco Sanábria; o diretor-adjunto, Wanderlei Cardoso; e servidores penitenciários.

Essas e outras ações que contribuem na reinserção social dos apenados são coordenadas pela Diretoria de Assistência Penitenciária da Agepen, por meio da Divisão de Promoção Social.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, a autarquia desenvolve inúmeros projetos pautados no cumprimento de pena digno, que incentivem o exercício dos direitos já garantidos por lei. “O IPCG é referência no Estado em relação ao tratamento oferecido a este público LGBT+, com cela específica e diversas ações de promoção”, parabenizou a iniciativa.

À esquerda, o servidor Cleverton Leal, a interna Nati representando a população LGBT+ da unidade, e a servidora Liliane Amarilha.

Fotos: Tatyane Santinoni

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
PMA resgata curicaca de linha de anzol, terceira ave regatada este mês na mesma situação
DIREITOS HUMANOS
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência
ECONOMIA
Brasil tem recorde de 30 milhões de pessoas recebendo até um salário mínimo
BRASIL
Começam hoje as atividades da Semana Nacional de Trânsito