Menu
Busca sexta, 23 de abril de 2021
SEGURANÇA PÚBLICA

Em MS titular da Senad defende proposta de agilizar leilões de bens do crime organizado

06 março 2021 - 08h30Por Portal MS

Ao visitar Mato Grosso do Sul nesta semana o secretário Nacional de Políticas Sobre Drogas do Ministério da Justiça, Luiz Roberto Beggiora sinalizou positivamente à reivindicação do governo estadual de agilizar os leilões dos bens apreendidos em ações de combate ao tráfico de drogas.

“Entendemos que devemos fazer essa alienação antecipada, inclusive com apoio do Poder Judiciário, para que essa venda aconteça o mais rápido possível e esse recurso retorne para o estado para a aplicação na área de segurança pública”, disse Beggiora.

Segundo ele a Senad tem hoje diversos projetos visando melhorar a capacidade de reaparelhamento das polícias, para fortalecer o combate ao tráfico. Entre eles, o titular da Senad citou a capacitação de peritos, aquisições de viaturas, de equipamentos de radiocomunicação, entre outros. “A fronteira é uma prioridade do Governo Federal”, garantiu.

Durante a reunião com o integrante do Ministério da Justiça, realizada na Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), o superintendente de Segurança Pública e Políticas Penitenciárias da Sejusp, coronel Edilson Osnei Narazeth Duarte apresentou ao titular da Senad e sua equipe, a real situação dos pátios e entorno de delegacias de Mato Grosso do Sul, onde há hoje mais de 7.500 veículos apreendidos, sendo a maioria deles provenientes do tráfico de drogas.

Bens apreendidos pelas polícias lotam pátios do DOF e delegacias (Foto: Divulgação)

Conforme o superintendente, apesar de Mato Grosso do Sul ser hoje o estado brasileiro que mais vende bens apreendidos com drogas, com mais de 100 veículos leiloados no ano passado, ainda há um passivo muito grande. “Hoje os pátios estão superlotados, causando uma série de problemas, nós temos hoje apreendidos nas delegacias do Estado veículos, aeronaves, bicicletas, aparelhos eletroeletrônicos, celulares e vários outros objetos”, explicou Duarte.

Para o Delegado-Geral da Polícia Civil, Adriano Garcia Geraldo, a fragmentação do tráfico pelos criminosos, na tentativa de burlar a fiscalização e diminuir os prejuízos, tem contribuído para o agravamento da situação. “Acaba que temos mais veículos apreendidos, mais procedimentos instaurados, mais pessoas presas e o Estado sofre muito. Então, esse olhar da União para o Estado de Mato Grosso do Sul ele é fundamental para a Polícia Civil e a segurança pública como um todo”, destacou.

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, disse ao titular da Senad que a preocupação não é apenas com a arrecadação de valores oriundos dos leilões do tráfico, mas principalmente em esvaziar os pátios das unidades policiais do Estado. “Tornou-se uma questão de saúde pública, nós temos agora o período das águas e esses veículos são propícios para a proliferação de mosquitos que transmitem diversos tipos de doenças”, frisou.

Videira lembrou ainda que a intensificação das ações policiais no Estado, que tem fronteiras secas com a Bolívia e o Paraguai, resultou em um aumento de 211% nas apreensões de drogas, que saltaram de 33,6 toneladas nos primeiros dois meses de 2020, para mais de 104,6 toneladas em janeiro e fevereiro deste ano. “O reflexo não é apenas no volume de drogas apreendidas, mas também de veículos onde eram transportados os entorpecentes, no número de presos no sistema penitenciário, na quantidade de inquéritos policiais instaurados e dos laudos periciais expedidos. E, quando você aumenta demasiadamente determinada área, acaba prejudicando o trabalho para esclarecer outros tipos de crimes como por exemplo os roubos, homicídios e feminicídios, por exemplo”, lembrou.

Importância do MS

O secretário Nacional de Políticas Sobre Drogas do Ministério da Justiça, Luiz Roberto Beggiora, pontuou que o Governo Federal entende a importância do estado de Mato Grosso do Sul e que a ideia da visita ao Estado é conhecer de perto a realidade para melhorar a gestão de ativos dos bens apreendidos do crime organizado, em especial do tráfico de drogas.

Beggiora é o terceiro secretário do Ministério da Justiça a visitar Mato Grosso do Sul. Em dezembro do ano passado esteve no estado o secretário de Operações Integradas, Jefferson Lisboa e no mês de janeiro o secretário Nacional de Segurança Pública, Carlos Paim. “A presença em menos de 90 dias de três secretários nacionais e a vinda do Ministro da Justiça [André Mendonça] agora em março [dia 19] aqui em Mato Grosso do Sul, mostra a importância nossa no cenário nacional”, afirma o secretário Antonio Carlos Videira.

Agenda

Em Mato Grosso do Sul o secretário Nacional de Políticas Sobre Drogas do Ministério da Justiça visitou a Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Dinar) e participou de reuniões, para discutir a questão da superlotação dos pátios, também no Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, na Polícia Rodoviária Federal e no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Camionete que seguia para Campo Grande com mais de uma tonelada de maconha foi recuperada pelo DOF
ECONOMIA
Micro e pequenas empresas podem pagar Simples com Pix
MEIO AMBIENTE
PMA realiza orientação em 61 propriedades rurais em prevenção aos incêndios
ECONOMIA
Prazo para contestar auxílio emergencial negado no dia 10 acaba hoje