Menu
Busca segunda, 14 de junho de 2021

Fronteira: Mais um protesto contra tortura de animais

Mais um protesto contra tortura de animais

07 maio 2012 - 15h30
Mercosulnews


Na tarde da última sexta-feira (4), jovens universitários e personalidades da fronteira fizeram outra manifestação contra o “circo de horrores”, apelido rotulado a todo e qualquer circo que se utilize de animais como atração para o público e, consequentemente se utilize de procedimentos de tortura para adestrar as feras.
Em e-mail enviado à Redação, os manifestantes disseram que “ganhamos força no nosso protesto com a vinda de ativistas e simpatizantes do movimento. Paraguaias, como a Dra. Lilian Baez Villasboa, como Elena Gómez, da Fundacão Jardim Botânico y Zoológico; Grisel Alfonso Parodi, presidenta da Fundacão “Patitas Felices Paraguay” e a Sra. Rossi Ortigoza, representante do SEAN “Vida Silvestres”.”

Elas estiveram na sexta-feira à tarde em reuniões com representantes paraguaios e com os proprietários do circo (a proprietária do circo é brasileira e o proprietário argentino), e apos muitas negociações, os donos do circo aceitaram entregar 4 leoas velhas e doentes para o zoológico de assunção. Ou seja, os animais que já não estão dando lucros a eles, os que estão incomodando.

Durante a manifestação, que contou com dezenas de simpatizantes, o prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo, esteve no local e conversou com os ativistas sobre o protesto. Uma das líderes do movimento revela que “como fomos criticados no protesto anterior por ter feito apenas faixas em português (haja vista que a maioria das pessoas que estavam no manifesto era brasileira, por isso as faixas em português) dessa vez fizemos cartazes até em guarani e tivemos um apoio maior da comunidade paraguaia”.

Disse mais: “como a primeira manifestação foi feita bem antes do início do espetáculo, estava ainda tudo bem limpo. Desta vez conseguimos ficar até mais tarde e só não ficamos mais, por causa do mau cheiro que exalava das jaulas e dos constantes gritos, uivos dos bichos. Realmente estava muito triste toda aquela situação. Muitos restos de alimentos, como ossos e sangue de animais, muito estrume e urina também estavam nas jaulas. Uma das fotos mostra um trailer pequeno com três animais adultos dentro. Ou seja, sem lugar para andar, tudo isso é muito revoltante e triste”, completa a líder do manifesto.

No final da mensagem, ela comenta que “muitas pessoas nos perguntaram o porque de toda nossa manifestação se nada mudaria. Eles (os circenses) iriam embora e se apresentariam em outras cidades. Nós respondemos: muito bem, já conseguimos quatro leoas doentes e velhas, além do apoio de ativistas e simpatizantes paraguaios, da presença do prefeito e a votação no Paraguai da lei que ira proteger todos os animais.... acham pouco? Isso já é muito para nós!!!” (Colaborou Gabriela Mendes Goncalves Motta Dorneles).

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Quatro em dez alunos pensaram em parar os estudos devido à pandemia
SAÚDE
Covid-19: Anvisa amplia prazo de validade da vacina da Janssen
LEGISLATIVO
Embrapa Agropecuária Oeste faz 46 anos e Neno Razuk parabeniza trabalho de pesquisa no MS
SAÚDE
Secretaria de Estado de Saúde transfere mais três pacientes para São Paulo nesta segunda-feira