Menu
Busca segunda, 12 de abril de 2021
Ponta Porã

Polícia Federal vai melhorar atendimento aos estrangeiros em Ponta Porã

Medida anunciada pelo superintendente da PF, Edgar Marcon, atende pedido encaminhado pelo presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã , Eduardo Gauna

04 fevereiro 2015 - 07h00Por Assessoria


O superintendente da Policia Federal em Mato Grosso do Sul, Edgar Paulo Marcon, informou que o atendimento aos cidadãos estrangeiros no setor de imigração na delegacia de Ponta Porã deverá ser aperfeiçoado. Segundo ele, a principal medida será deslocar mais servidores para fazer o atendimento nos finais de semana e feriados.


A medida atende uma solicitação do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã, Eduardo Gauna, que visitou o superintendente da Polícia Federal na manhã de terça-feira, 27 de janeiro. Eduardo estava acompanhado por dirigentes do "Ponta Porã sem Fronteiras C&B", Anderson Carpes e Miguel Moraez. Estavam na reunião os delegados Chang Fan, delegado regional executivo da PF e Flávia Renata Matos, delegada responsável pelo setor de imigração.

A solicitação encaminhada por Gauna ao superintendente da PF também era um pedido especial do presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero, Pedro Bondiman e pelos representantes dos consulados de Brasil e Paraguai, nas cidades de Pontas Porã e Pedro Juan.

"Procuramos o superintendente da Polícia Federal porque recebemos muitas reclamações das pessoas que, em trânsito pelo Brasil, precisavam regularizar a documentação junto à PF. Ocorre que, nos finais de semana e feriados, o atendimento é feito na delegacia que não oferece as condições adequadas para receber os cidadãos. As pessoas ficavam expostas ao sol forte e à chuva. Fomo s informados que um dos motivos para a demora no atendimento e, consequentemente o desconforto para os cidadãos, é que apenas um agente tinha que atender e, quando ocorria um flagrante de apreensão ou prisão, o mesmo precisava se deslocar para atender a ocorrência policial, deixando de fazer o atendimento aos estrangeiros, principalmente paraguaio que entram diariamente no território nacional. Temos conhecimento de casos em que, moradores de Pedro Juan Caballero, se sentiram obrigados a entrar no Brasil para atender situações de urgência como doença na família, sem a devida autorização, correndo riscos de terem problemas de ordem diplomática", explicou Eduardo Gauna.

O presidente da ACEPP faz questão de destacar o desprendimento do superintendente da Polícia Federal, Dr. Edgar que o atendeu de maneira cortês e rápida, ouvindo a solicitação e garantindo a solução para o problema. "O superintendente demonstrou possuir todos os requisitos necessários que norteiam a postura dos que ocupam cargos no serviço público. Só temos que agradecer a ele por esta medida que, sem dúvida, vai beneficiar milhares de pessoas, a maioria, de nacionalidade paraguaia", enfatizou Gauna.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPERAÇÃO HÓRUS
Veículo furtado com quase meia tonelada de maconha foi recuperado pelo DOF
EDUCAÇÃO
Prouni: MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes
JUTI
Polícia Militar apreende veículo com chassi adulterado
COTAÇÃO
Dólar fecha acima de R$ 5,70 em meio a incertezas políticas e fiscais