Menu
Busca quarta, 16 de junho de 2021

Ponta Porã: Disputar a Associação Comercial é muito difícil

Disputar a Associação Comercial é muito difícil

14 maio 2012 - 16h10
Mercosulnews


Para quem não sabe, disputar a presidência da Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã (ACEPP) é uma tarefa muito difícil. É muito mais complicado do que tentar uma eleição para vereador, para prefeito, ou para qualquer outro cargo público. Isto, porque para conseguir registrar uma chapa, o grupo que integra a diretoria deve ter o nome limpo em todas as esferas.
Quer dizer que, além do candidato, ou candidata, a presidente, os demais 20 (vinte) membros da diretoria que integram cada uma das chapas, não pode ter o nome negativado sequer no Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), muito menos na Serasa (Centralização dos Serviços Bancários S/A), coisas que não são exigidas numa campanha para vereador, ou prefeito, por exemplo.

Além disso, todos os membros devem comungar das mesmas propostas e, nos tempos atuais, conseguir um concenso não é nada fácil. Da mesma forma que, considerando a atual conjuntura econômica do país, onde comerciantes e empresários sofrem uma tributação absurda e, na maioria das vezes, precisam se endividar para cumprir seus compromissos com as folhas de pagamento e com o recolhimento de impostos, manter o nome limpo é uma verdadeira façanha.

A opinião é do presidente da ACEPP, Evaldo Pavão “China” Senger, que vem lamentando os equívocos e os maus entendidos que vêm sendo públicados em alguns veículos de comunicação da fronteira. O último conflitos de informações foi ao ar nesta segunda-feira (14) através de um jornal diário local – comenta o presidente – onde o autor da matéria, “que sequer esteve presente à assembleia extraordinária realizada pela ACEPP na semana passada”, diz que chapas ainda não registradas teriam indicado os componentes da Comissão Eleitoral que supervisionará o eregistro de candidatura e a disputa do pleito.

China afirmou que “a assembleia foi realizada pelos associados e não apenas pela diretoria. Foui uma forma de obter um consenso entre os interessados na disputa, protejendo a sua integridade e p´rincipalmente o da própria associação. Quem escolheu a composição foram os associados presentes à assembleia e não candidatos virtuais. Se ninguém se manifestou contrário às indicações é porque os nomes foram aceitos. Aliás, são três nomes de muito respeito, garantiu: o ex-promotor e ex-presidente da Câmara Municipal, Antônio Carlos Siufi Hindo; a diretora da Alecrim Seguros, Jusara Fátima Dariz e o ex-presidente e atual diretor da Associação Comercial de Amambai, Rodrigo Ferlhost”, revelou o presidente.

Para Evaldo Senger, “este pessoal está querendo é tumultuar o processo. Admitimos que cometemos erros na primeiura tentativa, mas em função do estatuto não ser inteiramente claro sobre este aspecto. Agora está tudo dentro daquilo que prevê o regimento da Casa e a eleição vai ser feita dentro da mais pura ordem e da mais plena democracia. Quem quiser permanecer fora do processo, por não conseguiir encarar de frente as dificuldades que tuto isto acarreta, é melhor assim. Precisamos de pessoas que queiram agregar, somar, construir e não daqueles que, mesmo com telhado de vidro, insistem em jogar pedras no telhado alheio”, finalizou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGEPAN
MS é o 1° Estado do Brasil a garantir acesso à movimentação de bilhetes do transporte intermunicipal
PONTA PORÃ
PM apreende veiculo carregado de mercadorias de descaminho
PONTA PORÃ
Polícia Militar recupera guitarra furtada
DETRAN
De BMW a moto Biz, leilão de veículos para circulação chega a fim nesta quarta-feira em Dourados