sábado, 02 de março de 2024

Ponta Porã: Veículos apreendidos pela PF vão a leilão

Veículos apreendidos pela PF vão a leilão

26 abril 2012 - 15h40
Mercosulnews


O acúmulo de veículos apreendidos pela Polícia Federal em Ponta Porã vem se transformando num problema cada vez mais difícil de administrar, diante da falta de espaço físico para armazenar tamanha quantidade de carros, caminhonetas e caminhões, sejam eles decorrentes de apreensões de drogas, ou de contrabando.

Diante disso, a reportagem manteve contato, na manhã desta quarta-feira (25) com o Conselho Estadual Antidrogas (CEAD), onde tentou falar com o presidente da entidade, o promotor de Justiça Sérgio Harfouche. Todavia, ele estava ocupado com audiências e não pode atender. Quem falou foi o coordenador de Leilões do CEAD, major Antônio César.

Ele admitiu que a organização tem consciência da existência deste exagerado acúmulo de veículos, grandes e pequenos, em grande parte dos municípios do Estado, incluindo Ponta Porã. Não só isto, tem preocupação com o problema e também interesse em desafogar este quadro.

O major revelou que ainda neste primeiro semestre Campo Grande será contemplado com o primeiro leilão de 2012, incluindo lotes com carros, caminhonetas e caminhões. Depois, segundo major César, os leilões atingirão também municípios do interior, mas isto só para o segundo semestre deste ano.

Sobre os caminhões “empilhados” no quarteirão em que está sediada a Delegacia da Polícia Federal de Ponta Porã, o major não quis se pronunciar, já que ele acredita que em sua maioria trate-se de veículos apreendidos com contrabando e que, nestes casos, foge da jurisdição do CEAD, já que o conselho trabalha apenas com veículos utilizados pelo tráfico de drogas.

Já em função dos gargalos provocados pela legislação e que de certa forma impedem que a Justiça libere a maior parte destes veículos em função dos processos ainda estarem tramitando, está para surgir uma nova jurisprudência, que seria o leilão cautelado, permitindo que o objeto seja leiloado mesmo sem a execução final do processo.

Isto, ainda segundo ele, ainda vai depender da Secretaria Nacional Antidrogas e da própria Justiça. Só em Ponta Porã existem três locais utilizados pela Polícia Federal como depósito de veículos apreendidos e todos eles estão até as tampas, sem possibilidade de se colocar mais nenhum.

Não bastasse o fato dos veículos estarem literalmente amontoados e sendo corroídos pela ação do tempo – o que certamente representa perdas já que a desvalorização no caso de leilões é iminente – há dezenas deles, principalmente no depósito localizado no Jardim Independência que estão sendo depredados pela ação de elementos que vêm se aproveitando da falta de vigilância, da escuridão e do portão do depósito ter sido derrubado, para furtar peças e acessórios, causando um dado ainda maior no aproveitamento dos recursos que seriam destinados no combate ao narcotráfico.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL

Mistura de biodiesel no diesel sobe para 14% a partir desta sexta

TRABALHO, PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA

Proposta isenta Santas Casas e hospitais filantrópicos de tarifas bancárias

JUSTIÇA

Barroso marca julgamento sobre porte de drogas para próxima semana

CIDADE E TRANSPORTES

Projeto prevê reteste gratuito de prova prática do Detran a beneficiário do Cadúnico