sexta, 01 de julho de 2022
SAÚDE

Hemodiálise: 16 polos regionais dão mais dignidade para renais crônicos em MS

12 junho 2022 - 09h00Por Portal Governo MS

Filtrar o sangue com ajuda de uma máquina para eliminar impurezas. Esse processo doloroso para pacientes renais crônicos é chamado de hemodiálise. Em Mato Grosso do Sul, mais de duas mil pessoas precisam desse serviço para ter qualidade de vida, apontam dados da SES (Secretaria de Estado de Saúde).

E quem depende da hemodiálise para viver tem tido rotinas menos desgastante graças à atuação do Governo do Estado, que nos últimos anos implantou três novos polos de atendimento no interior, em Bataguassu, Coxim e Costa Rica, e segue trabalhando para implantar novos pontos em Jardim, Naviraí e Nova Andradina.

Governador reiterou a abertura de hemodiálise em Jardim

“Trabalhamos incansavelmente para aumentar a oferta e a qualidade dos serviços de saúde para aproximar o atendimento das pessoas, dando mais dignidade. A hemodiálise é um exemplo disso. Não dá para o paciente ficar viajando centenas de quilômetros por semana para ter acesso a um serviço de saúde”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Para o secretário da SES, Flávio Britto, ampliar a rede de atendimento também é questão de humanidade. “As pessoas que fazem hemodiálise necessitam de, no mínimo, três sessões por semana. Então, viver próximo ao local de atendimento é de extrema importância e faz diferença para o tratamento”, diz.

Atualmente, 16 polos de atendimento formam a rede de hemodiálise sul-mato-grossense. Seis ficam em Campo Grande, dois em Dourados e o restante nas cidades de Aquidauana, Bataguassu, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas, cada uma com um centro de tratamento.

Nesta semana, em agenda em Jardim, Reinaldo Azambuja reforçou que a cidade polo do Sudoeste abrigará mais um serviço de hemodiálise em Mato Grosso do Sul para aproximar o atendimento de pacientes que, neste caso, precisam viajar para Aquidauana ou Campo Grande em busca de atendimento.

O governador reiterou que os investimentos fazem parte do Programa de Regionalização da Saúde. "Fizemos uma grande reforma no Hospital Marechal Rondon (Jardim) e agora criamos o núcleo de hemodiálise. Vamos construir e equipar, colocar mais 10 leitos de UTI e o Centro de Diagnóstico, ao lado do hospital, com exames, radiografia, raio-x. Isso é importante porque fortalece as estruturas de saúde", disse.

A conquista do setor de hemodiálise para Jardim passou pela atuação do Cidema, o Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Integrado das Bacias dos Rios Miranda e Apa, composto por 13 municípios e atualmente presidido por Porto Murtinho.

A implantação do mesmo serviço em Naviraí e Nova Andradina também está no radar do Governo do Estado, que entende que é necessário diminuir o sofrimento dos pacientes dessas regiões,  que precisam viajar para ter acesso ao atendimento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE

Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 64,36 mil casos em 24h

TEMPO

Mato Grosso do Sul deve ter clima estável nesta primeira semana do inverno

GERAL

Receita Federal deixa de exigir autenticação de documentos

POLÍTICA

Rodrigo Pacheco defende parceria entre Poderes em favor da sociedade