quarta, 10 de agosto de 2022
ALERTA

MS confirma mais 2 casos de varíola dos macacos

06 agosto 2022 - 11h00Por G1MS

Mais dois casos de monkeypox, doença conhecida como varíola dos macacos, foram confirmados, neste sábado (6), em Mato Grosso do Sul. Com isso, o estado totaliza oito notificações. Os pacientes são moradores de Campo Grande e Itaquiraí.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), ainda há a investigação de outros onze casos suspeitos. No dia 15 de julho a SES confirmou o primeiro caso de varíola dos macacos em Mato Grosso do Sul, sendo um homem, de 41 anos, que é residente em Campo Grande.

Os onzes casos em investigação envolvem pessoas que moram nas seguintes cidades: Campo Grande (3), Três Lagoas (3), Dourados (1), Cassilândia (1), Ponta Porã (1), Camapuã (1), além de Bandeirantes (1).

Formas de transmissão

Varíola dos macacos: o que você precisa saber

Apesar do nome, a doença viral não tem origem nos macacos. Apenas foi identificada pela primeira vez nesses animais. A transmissão pode ocorrer através do contato com animal ou humano infectado .

O contágio entre humanos ocorre por meio do contato direto com secreções respiratórias, lesões na pele ou fluidos corporais de uma pessoa infectada, ou a partir do contato com superfície ou objetos recentemente contaminados.

A varíola dos macacos pode ser transmitida por contato com o vírus: com um animal, pessoa ou materiais infectados, incluindo através de mordidas e arranhões de animais, manuseio de caça selvagem ou pelo uso de produtos feitos de animais infectados.

Ainda não se sabe qual animal mantém o vírus na natureza, embora os roedores africanos sejam suspeitos de desempenhar um papel na transmissão da varíola às pessoas.

Pode ocorre transmissão de pessoa para pessoa: pelo contato direto com fluidos corporais como sangue e pus, secreções respiratórias ou feridas de uma pessoa infectada, durante o contato íntimo – inclusive durante o sexo – e ao beijar, abraçar ou tocar partes do corpo com feridas causadas pela doença.

Ainda não se sabe se a varíola do macaco pode se espalhar por meio de sêmen ou fluidos vaginais. Também pode haver transmissão das seguintes formas:

Por materiais contaminados que tocaram fluidos corporais ou feridas, como roupas ou lençóis;

Da mãe para o feto através da placenta;

Da mãe para o bebê durante ou após o parto, pelo contato pele a pele;

Úlceras, lesões ou feridas na boca também podem ser infecciosas, o que significa que o vírus pode se espalhar pela saliva.

Conheça os sintomas

Os principais sintomas da varíola dos macacos são:

Febre

Dor de cabeça

Dores musculares

Dor nas costas

Gânglios (linfonodos) inchados

Calafrios

Exaustão

Como se proteger

O uso de máscaras, distanciamento e a higienização das mãos são formas de evitar o contágio pela varíola dos macacos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforça a adoção dessas medidas, frisando que elas também servem para proteger contra a Covid-19.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS

Inscrições para o Prêmio dos Juizados Especiais terminam nesta quarta

EDUCAÇÃO

Inep divulga versão preliminar de gabarito do Revalida 2022/2

JUSTIÇA

Jair Bolsonaro registra candidatura à reeleição no TSE

POLÍCIA

Filho vai visitar pai e encontra idoso morto com queimaduras nas costas, cabeça e braços