Menu
Busca terça, 21 de setembro de 2021
Dia da árvore - Setembro 2021
SAÚDE

População adulta deve estar 100% vacinada até outubro, diz Queiroga

Adultos brasileiros deverão estar imunizados com 1ª dose até setembro

20 agosto 2021 - 07h45Por Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta quinta-feira (19) que o governo federal espera completar o ciclo vacinal de toda a população adulta do Brasil até o final de outubro.

A previsão acontece em decorrência da aceleração do Programa Nacional de Imunização (PNI) e da entrega antecipada de doses pelos institutos nacionais e por laboratórios internacionais. Queiroga afirmou que o governo “está tranquilo” em relação aos prazos e expectativas divulgados, e que as remessas de imunizantes continuarão em fluxo constante para os estados.

“Isso é fruto da estratégia de utilizar formas diversificadas para entrega das vacinas. Além de acordos de transferência de tecnologia, as encomendas a farmacêuticas internacionais. Isso faz com que tenhamos mais de 68 milhões de doses para serem distribuídas neste mês de agosto”, relatou.

Medidas em vigor

Segundo esclareceu Queiroga, não há qualquer mudança nas medidas sanitárias em vigor. O ministro afirmou que, à medida que a vacinação avança e as taxas de contágio e mortalidade caem, é possível flexibilizar os protocolos em vigor.

O ministro frisou, ainda, a importância de se completar o esquema vacinal com a segunda dose. “A imunização só está completa após a segunda dose”, relembrou.

Atrasos

A logística de distribuição de doses entre estados e municípios após as entregas feitas do governo federal - além da distribuição proporcional de doses em relação aos grupos prioritários de cada região - são os principais motivos pelos quais há atrasos nas entregas de vacina, explicou Queiroga. 

“Hoje, a distribuição é feita pelo critério de faixa etária. Estamos procurando corrigir essas pequenas distorções entre os estados para que a campanha continue de maneira homogênea”, esclareceu o ministro.

O ministro reforçou a importância das orientações do PNI para os municípios, que têm alterado a lógica de distribuição de doses estabelecida pela esfera federal. “Isso acarreta em dificuldades para oferecer as doses da forma que foi programada”, informou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Comissão especial da PEC dos Precatórios será instalada hoje na Câmara
POLÍCIA
Homem é preso por receptação de veículo furtado em SP e trazido para o MS
BONITO
Presidente da Sanesul recebe Prêmio Piraputanga das mãos do ministro do Turismo
LEGISLATIVO DE MS
Neno Razuk solicita a Sejusp a retomada dos serviços emissão de RG em Água Clara