Menu
Busca sábado, 08 de maio de 2021
FERCICAL
CORONAVÍRUS

Reinaldo Azambuja assina carta dos governadores à ONU por mais vacinas

17 abril 2021 - 14h00Por Portal Governo MS

Governadores dos 27 estados brasileiros e do Distrito Federal encaminharam uma carta à ONU (Organização das Nações Unidas) e à OMS (Organização Mundial de Saúde) solicitando ajuda humanitária para manter e ampliar a vacinação da população contra a Covid-19. 

Resultado do Fórum de Governadores, o documento pede auxílio para destravar doses e insumos. São cinco pedidos na carta assinada por Reinaldo Azambuja e pelos demais governadores:

Ajuda humanitária ao Brasil para viabilizar a compra de mais vacinas

Mediação de negociações entre o Brasil e a China, com o propósito de que seja antecipada a entrega suplementar de IFA, ainda neste mês de abril, em quantidade suficiente para a produção de 10 milhões de doses da Coronavac

Viabilização da importação do montante de 5 milhões de doses em abril e 3,1 milhões em maio próximo das vacinas oriundas do consórcio global Covax Facility e auxílio para garantir o cumprimento do contrato firmado entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a AstraZeneca/Universidade de Oxford, a fim de viabilizar a entrega da quantidade de IFA necessária à produção de 15 milhões de doses de vacinas

Mediação, junto aos Estados Unidos da América, visando à aquisição – ou empréstimo condicionado a posterior devolução da quantidade correspondente – do imunizante da AstraZeneca/EUA pelo Brasil, bem como por outros países que apresentem índice deficitário de vacinação, em quantidade aproximada de 10 milhões de doses.

Assistência para a obtenção de insumos hospitalares, a exemplo de oxigênio e medicamentos que compõem do chamado “kit intubação”.

Confira o documento na íntegra aqui.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Segunda etapa da vacinação contra influenza começa na próxima semana
CRIME AMBIENTAL
PMA de Bonito e Iagro autuam dono de chácara em R$ 2,6 mil por criação ilegal de javalis
SAÚDE
Pesquisa revela que 1,3 mil municípios ficaram sem segunda dose
Número representa 45% das prefeituras que responderam à sondagem
MS
Ex-marido acusado de feminicídio vai a júri popular