Menu
Busca domingo, 01 de agosto de 2021
Lançamento Village do Bosque
APÓS UM ANO DE PANDEMIA

Saúde reestrutura nove municípios com instalação de leitos de alta complexidade

22 junho 2021 - 15h30Por SESMS

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, apresentou avanço após o início da pandemia do Coronavírus quanto ao serviço de alta complexidade em Mato Grosso Sul. Enquanto em 2019, apenas seis municípios apresentavam leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) esse número saltou em dois anos, com acréscimo de mais nove cidades dispondo do serviço, ampliando a rede especializada em 15 municípios no Estado para o enfrentamento à Covid-19 e outras doenças.

Segundo o Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, os leitos nestes municípios ampliou a cobertura do serviço no Estado. “Desde o início da pandemia, trabalhamos em sintonia com os gestores e gestoras municipais com o objetivo de que não faltassem leitos hospitalares, tanto clínicos quanto de UTI, para tratamento de pacientes de Covid-19”.

A linha do tempo de UTI Geral e de Covid-19 aponta que os municípios de Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Ponta Porã e Três Lagoas possuíam o serviço de alta complexidade antes da pandemia. Durante a pandemia, o Estado ampliou a oferta para os municípios de Aparecida do Taboado, Bataguassu, Costa Rica, Coxim, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba e Sidrolândia.

Assim, de 515 leitos de UTIs iniciais, o Estado totaliza até o momento 980 leitos de UTIs. Na última sexta-feira (18), mais 10 leitos foram de UTIs foram abertos no Hospital do Pênfigo, em Campo Grande. Essas UTI’s foram implantadas por meio de trabalho de parceria entre o Governo do Estado, Ministério da Saúde e municípios.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Aneel: bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha
BR-262
Homem morre ao ficar preso entre as ferragens após carro cair em valeta de rodovia no MS
POLÍCIA
Drone, drogas e celulares são apreendidos pelo DOF momentos antes de chegarem aos internos da PED
SAÚDE
Covid longa: pacientes 'recuperados' podem ter problemas de raciocínio e memória, aponta pesquisa