Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021
CARBONERA - JULHO, AGOSTO E SETEMBRO
CORONAVÍRUS

Secretário lamenta descumprimento de acordo e regras do 'Prosseguir' pelo prefeito de Campo Grande

15 junho 2021 - 11h00Por Portal Governo MS

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende disse que lamenta a posição tomada pelo prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, que publicou decreto desrespeitando as medidas restritivas orientadas pela classificação de riscos por cores de bandeiras do Programa de Saúde e Segurança da Economia (PROSSEGUIR).

De acordo com os critérios adotados tecnicamente pelo PROSSEGUIR, Campo Grande e outras 43 cidades do Estado encontram-se em bandeira cinza, de acordo com a Deliberação do Comitê Gestor do Prosseguir nº 4, de 9 de junho de 2021 . Essa classificação permite o funcionamento apenas de atividades consideradas essenciais.

No entanto, o prefeito da capital, por sua própria conta, reclassificou Campo Grande com a bandeira na cor vermelha, assumindo os riscos de um eventual aumento no número de casos de Covid-19 na capital, nos óbitos, bem como uma superlotação ainda maior e falta de leitos de UTI na macrorregião de Campo Grande.

Segundo Geraldo Resende, a decisão do prefeito se torna ainda mais questionável tendo em vista que na quinta-feira (10.6), o prefeito de Campo Grande, juntamente com o secretário municipal de Saúde José Mauro, o secretário de Governo Antonio Lacerda e o procurador Geral do Município Alexandre Ávalo estiveram reunidos na Secretaria Estadual de Saúde. Neste encontro, Marquinhos Trad entregou um documento se comprometendo a seguir as medidas restritivas impostas pela bandeira Cinza do Prosseguir e solicitando prazo de 72h para o município se organizar para adotar as medidas necessárias.

“Fico perguntando o que levou o prefeito a romper um compromisso que tinha a sua própria assinatura e o aval de dois de seus secretários e o procurador do Município”, questiona Geraldo. O secretário disse que o Ministério Público Estadual “seguramente está atento a essa questão e deverá tomar as providências cabíveis. “O que eu mais espero, porém, é que essa medida não resulte em mais mortes por Covid em nossa capital            “.

Situação

Mato Grosso do Sul se encontra em um dos piores momentos da pandemia contra COVID-19, com média diária de 40 óbitos e 1.605 casos novos de Covid, totalizando 7.517 vidas perdidas pela doença e 314.445 casos confirmados de Coronavírus.

As quatro macrorregiões do Estado estão com ocupação global entre 90% e 100%, chegando a extrapolar o percentual de 100% para leitos de UTI pelo SUS. 182 pessoas aguardam no Estado por leitos, sendo 92 pacientes internados em unidades de Saúde de Campo Grande aguardando por leitos adequados.

Devido à falta de leitos, 31 pessoas tiveram que ser enviadas para serem internadas em outros Estados, sendo cinco moradores de Campo Grande.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO DE MS
Neno Razuk recebe moção de agradecimento por destinação de emenda à Itaquiraí
CIDADE
Já está em vigor lei que reduz ICMS da energia elétrica para 1 milhão de unidades consumidoras
SAÚDE
Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos
OPERAÇÃO HÓRUS
PM do Vale do Ivinhema apreende mercadorias oriundas do Paraguai avaliadas em 800 mil reais