Menu
Busca sexta, 23 de abril de 2021
Faculdade columbia - Matrículas abertas 2021
PANDEMIA

Só nestes primeiros 19 dias de março, MS já registrou 417 mortes por coronavírus

19 março 2021 - 13h45Por Portal MS

A secretária adjunta da Saúde, Dra. Cristhine Maymone, começou a live desta sexta-feira, dia 19, alertando para o grande número de municípios sul-mato-grossenses na faixa vermelha, de alto grau de risco, são 44 de acordo com a avaliação do Programa Prosseguir. Segundo o levantamento 29 municípios regrediram de bandeira, ficando em situação pior e 11 melhoraram em relação ao cenário anterior.

Já o secretário de Saúde Geraldo Rezende lamentou os números do boletim epidemiológico de hoje: 200.017 casos confirmados, 1.222 casos novos, média móvel de 1.083,9.

Foram registrados ainda mais 36 óbitos por Covid-19. Totalizando 3.775 mortes. E a média móvel vai a 30,3 mortes por dia. São 417 óbitos só neste mês de março, o mês com mais mortes durante toda a pandemia, destacou o secretário de saúde.

Na Capital, Campo Grande, classificada pelo Programa Prosseguir na bandeira cinza de grau extremo, foram registrados 21 óbitos. Outros quatro são de Dourados. Três de Camapuã. E dois de Naviraí e Sonora. São Gabriel do Oeste, Três Lagoas, Sidrolândia e Ponta Porã registraram um óbito cada.

Outra preocupação do Secretário são os 8.182 casos que aguardam encerramento nos municípios, ele voltou a pedir empenho das secretarias municipais de saúde para conclusão.

Hoje 11.101 infectados estão em tratamento, porém em isolamento domiciliar. Precisaram de internação 968 pessoas. 553 ocupam leitos clínicos e outros 415, que são casos mais graves, já ocupam leitos de UTI.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Confira a distribuição das doses de vacina contra a Covid-19 por município em Mato Grosso do Sul
PANDEMIA
Com 48 novos óbitos, taxa de letalidade se mantém em 2,2% no MS
NOVA ANDRADINA
Força Tática do 8ºBPM prende dois jovens por tráfico de drogas e cumpre mandado de prisão
INTERNACIONAL
Uma dose de vacinas reduz infecção em até 65%, revela estudo