Menu
Busca sábado, 08 de maio de 2021

Frio japonês e experiência egípcia preocupam Corinthians

Frio japonês e experiência egípcia preocupam Corinthians

10 dezembro 2012 - 13h40
AFP

As baixas temperaturas e a neve que caiu no domingo e na segunda-feira em Toyota, além da experiência dos jogadores do Al Ahly, são algumas das preocupações do Corinthians dois dias antes do jogo válido pelas semifinais do Mundial de Clubes da Fifa.

"Já tive experiência jogando na neve e é complicado", afirmou nesta segunda-feira o lateral esquerdo Fábio Santos, de 27 anos, que jogou uma temporada no Kashima Antlers do futebol japonês.

"Com ou sem neve, temos que nos preparar bem porque a temperatura vai ser baixa", completou.

Fábio Santos disse que o Al Ahly usou a experiência, com vários jogadores acima dos 30 anos, para derrotar o Sanfrecce Hiroshima nas quartas de final em jogo que viu a equipe japonesa ter mais posse de bola.

"O Al Ahly é uma equipe que se defende bem, que marca bem e que tem um bom contra-ataque. São rápidos na frente e experientes, acostumados com este tipo de torneio, mais maduros que os japoneses", explicou Fábio Santos.

Contudo, o lateral afirma não ter medo da equipe egípcia.

"Acho que não é questão de medo e sim de respeito. As duas equipes querem disputar a final do Mundial de Clubes e ninguém está com medo", disse o jogador, que foi campeão da competição em 2005 pelo São Paulo sem entrar em campo.

"Agora a responsabilidade é maior, já que tenho um papel mais importante por ser titular", explicou.

Alguns jogadores já estão acostumados com a neve e o frio como o goleiro Cássio, que jogou quatro temporadas na Holanda, pelo PSV Eindhoven e no Sparta de Rotterdã, o atacante peruano Paolo Guerrero, que atuou por dez anos na Alemanha entre Bayern de Munique e Hamburgo, e o volante Paulinho que ficou um ano na Lituânia e outro na Polônia.

Cássio não treinou nesta segunda-feira em Kariya, perto de Toyota, onde quarta-feira o Corinthians enfrenta o Al Ahly, por causa de dores no ombro mas deverá estar em campo para jogar a semifinal do Mundial.

"Não me importo de jogar no frio", afirmou o goleiro.

O volante Paulinho acredita que o Al Ahly se baseia na experiência e na velocidade de seus jogadores.

"São jogadores muito experientes e rápidos, mas acho que na partida das quartas de final a equipe japonesa teve mais posse de bola", disse Paulinho nesta segunda-feira em Nagoya.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Sábado é o último dia para matrícula para aprovados da UEMS da 4ª convocação
SAÚDE
Fiocruz: pandemia de covid-19 faz vítimas cada vez mais jovens
TEMPO
Final de semana de dia das mães será de tempo firme em Mato Grosso do Sul
SAÚDE
Segunda etapa da vacinação contra influenza começa na próxima semana