Menu
Busca quarta, 04 de agosto de 2021

Após críticas, Kajuru desiste de exibir entrevista com goleiro Bruno

26 setembro 2011 - 13h10
Após críticas, Kajuru desiste de exibir entrevista com goleiro Bruno

F5

Após receber críticas e conselhos, o jornalista Jorge Kajuru afirma que desistiu de exibir a entrevista que fez com o goleiro Bruno Fernandes, acusado de envolvimento na morte de Elisa Samúdio no ano passado. O material estaria em poder da Band. Kajuru dissera que iria ceder a entrevista ao amigo José Luiz Datena, do "Brasil Urgente". Kajuru entrevistou o goleiro em dezembro passado.

O problema é que a exibição da entrevista estava condicionada, em documento, a um pagamento de R$ 150 mil ao ex-advogado do goleiro, Ércio Quaresma.

Segundo Kajuru, 50, mediante um acordo financeiro, que prevê esse pagamento a Quaresma, o advogado permitiu que ele entrevistasse Bruno em 2 de dezembro último. O goleiro está no presídio de Contagem, Minas. A entrevista nunca foi divulgada até a semana passada, quando o F5 descobriu a existência do material.

"Estou impressionado com a reação do meu público, que, em sua maioria absoluta, se manifesta através do meu blog e twitter pedindo para eu não colocar no ar a entrevista feita com o goleiro Bruno, 11 meses atrás", disse em comunicado.

"Meus verdadeiros amigos também acompanham a opinião de meus fãs, e acham que eu devo esquecer esta entrevista (...).Não sou um jornalista policial, não tenho programa policial e meu nível e história não merecem essa mancha", declarou.

O CASO ELISA SAMÚDIO

Elisa Samúdio foi morta provavelmente um ano atrás, depois de sumir de um hotel no Rio, para onde tinha viajado com o filho --cujo pai era Bruno. O jogador não aceitava a paternidade da criança. Durante as investigações do rumoroso caso, a polícia obteve denúncias de que Elisa fora espancada no sítio do jogador, no período do desaparecimento.

Um primo do goleiro, então menor, e o amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, foram apontados como executores do crime. A defesa deles nega. Elisa era modelo e chegou a fazer filmes pornôs. Seu corpo jamais foi encontrado.

Em julho passado, a polícia indiciou o goleiro Bruno e outros suspeitos foram indiciados por homicídio, sequestro, formação de quadrilha, corrupção de menores, cárcere privado e ocultação de cadáver.

Outro acusado, Marcos A. dos Santos foi acusado por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e formação de quadrilha. Outros escaparam da acusação de assassinato, mas foi mantida a de cárcere e formação de quadrilha.

Questionado pela coluna a respeito de sua impressão sobre Bruno, após a entrevista, Kajuru afirmou que, embora tenha 'dúvidas sobre quem cometeu o crime', ele acredita 'que Bruno não participou do assassinato'.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Estudo diz que CoronaVac eleva resposta em pacientes imunossuprimidos
CORONAVÍRUS
Mato Grosso do Sul recebe 62.230 doses de vacinas contra Covid-19
POLÍTICA
CPI: Marcelo Blanco diz que negociava vacinas para setor privado
EDUCAÇÃO
Processo seletivo da UEMS 2022 terá vagas para vestibular, Sisu e Enem