Menu
Busca terça, 18 de maio de 2021

Associação das Travestis de MS lamenta morte de universitário na Capital

13 dezembro 2012 - 16h10
MS Record



A presidente da Associação das Travestis de Mato Grosso do Sul, Cris Stefanny, lamentou, em nota, a morte do universitário Lawrence Corrêa Biancão, de 20 anos, ocorrida no último domingo (9). Dois adolescentes, de 15 anos, apreendidos nesta terça-feira (11) confirmaram a polícia, que mataram o rapaz porque ele era homossexual.

Cris associa o crime a homofobia. “Muitos homossexuais, em específico os mais ‘afetados’, que na relação sexual atuam como passivos, geralmente procuram se relacionar com rapazes que se dizem “heterosexuais”, mas que mesmo fazendo sexo com homens não se vêem como gays. Essa ambivalência quando exercida por uma personalidade criminosa, que parece ser o caso, tende a cometer delitos (incluindo homicídios) com motivação homofóbica, já que, como dito acima, não se enxergam como homossexuais”, declarou a presidente.

Por fim, ainda em nota, a presidente enfatizou sobre o crescimento do número de assassinatos motivados por natureza homofóbica. “Assim, por mais que tenhamos fé, por mais que enalteçamos o respeito às diferenças, por mais que reverenciemos à Constituição, por mais que o nosso trabalho tente garantir a universalidade dos direitos humanos, o fato é que vivemos num país onde o número de assassinatos motivados por natureza homofóbica ou transfóbica lidera o ranking mundial. A prática da homofobia e da transfobia no Brasil possui as mais variadas vertentes de ódio ou raiva. Ela se expressa na intolerância de um heterossexual fundamentalista intolerante; ou na violência truculenta de “Pity boys” que atacam covardemente em bandos; ou mesmo pela fragmentação da personalidade dos “gays inrrustidos” que matam por não admitirem serem comparados ou identificados como gays.”, comentou.

Na madrugada de domingo (9), os autores, com a intenção de roubar a vítima, marcaram um encontro. Foi quando Lawrence chegou ao local, próximo a Orla Morena, onde os adolescentes entraram no carro e então deram uma volta no quarteirão. Ao estacionar o carro próximo a pista de skate da Orla, um dos adolescentes agarrou Lawrence pelo pescoço, enquanto o outro passou a desferir murros no peito do rapaz, logo depois ele pegou o cinto de segurança e estrangulou o jovem até a morte.

Ao delegado, os adolescentes confirmaram que tinham a intenção de roubar, mas ficaram com nojo de Lawrence pelo fato de ser homossexual e por isso acabaram matando o rapaz. Com os jovens, a polícia localizou a frente do som do carro, a chave do veículo, o celular e a carteira da vítima. Eles foram encaminhados para a Delegacia Especializada de Atendimento a Infância e Juventude (Deaij), onde podem ser indiciados pelo crime de latrocínio [roubo seguido de morte].

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPERAÇÃO HÓRUS
Polícia Militar apreende mercadorias de descaminho
PANDEMIA
Saúde confirma mais 1.522 infectados pela Covid e casos ativos passam de 12 mil em MS
POLÍTICA
CPI da Pandemia vai pedir que PF apure ameaças recebidas por senadores
CORONAVÍRUS
Com novos lotes, Mato Grosso do Sul soma 1.199.010 doses recebidas da vacina contra COVID-19