Menu
Busca terça, 03 de agosto de 2021

Atacante Henrique renova por mais cinco anos com o São Paulo

23 agosto 2011 - 17h10
Atacante Henrique renova por mais cinco anos com o São Paulo

Uol

Artilheiro e eleito o melhor jogador do Mundial sub-20 pela seleção brasileira, campeã no último sábado, contra Portugal, na Colômbia, o atacante Henrique acertou a renovação de seu contrato com o São Paulo por mais cinco tempo temporadas.

A informação foi confirmada à Folha por pessoas que cuidam da carreira do atleta no início da tarde desta terça-feira.

Ele ameaçava deixar o clube, com a argumentação de que seu vínculo era ilegal.

Em fevereiro, baseado na lei brasileira, o São Paulo renovou por cinco anos com o volante Rodrigo Caio, quando ele tinha 17 anos. O meia Mirrai, 17, aposta para o futuro, também recebeu nesta temporada um novo contrato com a mesma duração.

Mas a Fifa diz que atletas menores de 18 anos podem assinar acordos válidos por, no máximo, três anos. Ao contrário da Fifa, a Lei Pelé não prevê esse limite. Jogadores de 16 anos --idade mínima para assinar contratos profissionais-- podem fechar vínculos de cinco anos.

Era devido a esse conflito entre o local e o internacional que Henrique, 20, considerava que estava livre da equipe do Morumbi.

Seu contrato havia sido assinado em 2008, quando tinha 17 anos, e valia até 2013. Mas, segundo o jogador, os dois últimos anos deveriam ser desconsiderados por não se adequarem ao regulamento da Fifa.

O São Paulo acredita que age corretamente e continua se amparando na Lei Pelé para fechar contratos. "Temos uma tese que foi elaborada pelo nosso jurídico e amplamente discutida. Não vamos abandoná-la por pouco", disse o diretor de futebol amador do clube, Marcos Tadeu Novais dos Santos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTADO
Apesar da pandemia, MS terá o maior crescimento do PIB no país
DOURADOS
Ocorrências violência doméstica "evolui" e trio acaba preso por tráfico e furto pela PM
POLÍCIA
Polícia Militar apreende 61 kg de maconha em veículo furtado no estado de São Paulo
BRASIL
Vendas de automóveis têm queda de 8,4% em julho comparado a 2020