Menu
Busca quinta, 05 de agosto de 2021

Cão vira-lata encara Pit Bull, fica ferido mas salva vida de criança de 3 anos

Cão vira-lata encara Pit Bull, fica ferido mas salva vida de criança de 3 anos

06 outubro 2011 - 07h39Por Midiamax
O vira-lata “Fofinho” não se intimidou e avançou em cima do cachorro pit bull para defender Gabrielly, uma criança de apenas 3 anos. O fato aconteceu na manhã de ontem (5), na rua Violeta Melo Vieira, bairro Jardim Carioca em Campo Grande. A coragem do animal evitou uma tragédia na casa de Kenya Suelen Dias Rodrigues, 16, mãe da menina.

O pit bull que vive na mesma rua escapou de casa e invadiu a residência da estudante Kenya que estava com a irmã e a tia na cozinha lavando louça, quando perceberam que o cachorro havia entrado na sala. A casa é de porta para rua e não tem muro, como muitas outras na região.

Ainda segundo ela, neste momento, 'Fofinho' entrou e salvou a criança. “Ele avançou contra o cachorro”, diz.O pit bull pegou ‘Fofinho’ pela boca e o arrastou até a rua. A estudante disse que jogava coisas nele para ele largar o vira-lata, mas nada adiantava. Foi quando um carro passou e atropelou o cão.

“Apenas com o atropelamento ele largou o nosso cachorro”. Depois do ataque, o vira latas foi levado ao veterinário para levar pontos, enquanto o pit bull retornou para casa.O dono do cachorro agressor prestou apoio a família da menina. Foi ele quem levou 'Fofinho' para a clínica veterinária. Apesar disso, Kenya disse que vai acionar o CCZ (Centro de Controle de Zoonose) por achar muito perigoso o cachorro transitar desta forma na rua.
Imprudência

Segundo o aeroportuário, Ricardo Samaniega, de 41 anos, que é vizinho do local, o pit bull costuma ficar solto e andar sozinho pelas ruas do bairro. Ele ainda contou que no momento do ataque estava dormindo e acordou com os gritos. Ao sair de casa viu o cão passar com o outro cachorro na boca. A reportagem foi até o local e verificou que o portão da residência onde vive o cachorro é muito baixo o que, provavelmente, facilita sua fuga. A médica-veterinária Hellen dos Santos que atendeu 'Fofinho' disse que não pode pegar um cachorro e julgá-lo. Segundo ela, muitas vezes os cães agem assim quando não recebem tratamento adequado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Indicador de Emprego da FGV atinge maior nível desde fevereiro de 2020
POLÍCIA
PMA autua pescador profissional por extração ilegal de recursos minerais e degradação área protegida
CULTURA
Artesãos do Estado veem concurso da Fundação de Cultura como oportunidade de reconhecimento
LEGISLATIVO DE MS
Deputados devem apreciar quatro propostas na sessão ordinária desta quinta-feira