Menu
Busca terça, 27 de julho de 2021

Cielo se confirma como exceção no Pan com 2º ouro individual

Cielo se confirma como exceção no Pan com 2º ouro individual

21 outubro 2011 - 00h03Por UOL
Cesar Cielo venceu na quinta-feira a final dos 50 m livre da natação e conquistou o bicampeonato no Pan, em dobradinha com o compatriota Bruno Fratus. Muito mais do que a vitória, porém, o tempo do brasileiro foi a maior confirmação de que, nos Jogos de Guadalajara, ninguém brilhou tanto quanto ele. Apesar do recorde de medalhas de ouro de Thiago Pereira, só o velocista fez, no Pan, tempos que representariam medalha no Mundial de 2011.

O brasileiro dominou a disputa e fechou a prova com 21s58, ficando muito próximo de bater o melhor tempo da temporada, que pertencia a ele mesmo, com os 21s52 que fez no Mundial de Daegu. Bruno fez 22s05.

Apesar de mais um título, Cielo não escondeu que queria mais, de olho no melhor tempo da temporada. "Eu pensei que fosse nadar um pouquinho mais rápido, mas pesou a altitude nos últimos 15 metros e precisei dar uma respirada", disse o brasileiro, que costuma cumprir os 50 m num só fôlego.

"Sei que posso fazer um tempo ainda melhor. O maiô do Bruno (Fratus) rasgou e tive de emprestar de novo um para ele, então acho que era para ser assim hoje", completou o paulista, comentando a rivalidade caseira. Foi o terceiro ouro de Cielo, somando este aos dos 50 m livre e do revezamento 4x100 m livre.

Na mesma linha, Fratus foi discreto nos festejos, também por culpa de seu tempo, já que esperava nadar em 21s. "Foi um ano difícil. Tive o Maria Lenk, o Mundial e agora o Pan-Americano, tudo muito em cima. Na temporada passada, tive problema no ombro, tive febre nos últimos dias", afirmou o nadador.

Antes deste ouro, na prova dos 100 m livre, Cielo surpreendeu a todos. Após ter problemas nessa prova no Mundial de Xangai e ficar apenas no quarto lugar, ele venceu o Pan com 47s84, o segundo melhor tempo do ano – e sua primeira vez na casa dos 47s desde o fim dos supermaiôs.

Como comparação, em suas provas Thiago Pereira, que chegou a dez ouros em Jogos Pan-Americanos com suas conquistas em Guadalajara fez apenas um tempo que valeria final do último Campeonato Mundial.

Nos 200m medley, marcou 1min58s07, que valeria a sexta posição em Xangai. Nos 400 m medley, ele marcou 4min16s68 e, com ele, estaria fora da zona dos 25 melhores do ano. O mesmo se repete nos 100 m costas, que os 54s56 estariam fora dos 30 melhores tempos do ano – o outro ouro foi no revezamento 4x100 m em que Thiago nem mesmo nadou a final.

"Tinha um objetivo, que era melhorar o meu tempo do Mundial. Não estava pensando em recorde (pan-americano), mas em melhorar e dar o meu melhor. O alvo era 25s5 e ficaria feliz com isso. Acho que tenho pouco a melhorar. É bom defender o titulo e ter outro brasileiro aqui é importante", concluiu o campeão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
Monitoramento realizado pelo Imasul aponta boa qualidade das águas subterrâneas de MS
COTAÇÃO
Dólar fecha em queda de 0,71%, abaixo de R$ 5,20
SAÚDE
Saúde recomenda Pfizer a gestantes que tomaram 1ª dose da AstraZeneca
PONTA PORÃ
Polícia Militar apreende caminhão por adulteração de sinal identificador de veículo