Menu
Busca sábado, 23 de outubro de 2021

Desta vez, a censura pública ao profissional foi por indisciplina

Desta vez, a censura pública ao profissional foi por indisciplina

16 novembro 2011 - 13h30
Campograndenews

Denunciado por atos libidinosos, o médico Wilson Roberto Cardoso Farias recebeu nova punição do CRM (Conselho Regional de Medicina). Desta vez, a censura pública foi por indisciplina.

De acordo com o advogado do conselho, André Borges, o profissional deixou de prestar esclarecimentos ao CRM e não preencheu prontuário médico.

No ano passado, Wilson Roberto foi punido com censura pública pelo CRM por assédio sexual a pacientes em Campo Grande. Ele também teve o registro suspenso por 30 dias, mas recorreu à justiça federal, que cancelou a suspensão.

As pacientes denunciaram que o médico, que é obstetra e ginecologista, praticava atos libidinosos durante a consulta.

À época da primeira punição, o médico trabalha no posto de saúde do bairro Mata do Jacinto, em Campo Grande. A punição com censura pública tem efeito moral, mas não cassa o registro profissional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÃO DE GOVERNO
Programa milionário para o esporte e investimentos para o setor elétrico ganham destaque
POLÍCIA
PMA de Batayporã autua jovem de 25 anos por maus-tratos a uma cadela Pit Bull
SAÚDE
Trabalho remoto foi mais recorrente para quem tinha curso superior
REGIÃO
PMA captura tamanduá-bandeira refugiado dentro de depósito em sítio depois de ser acuado por cães