Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021

Ex-acadêmicos reclamam por diploma em Ponta Porã

22 novembro 2011 - 20h10Por CONESUL NEWS
Ex-acadêmicos da Faculdade de Tecnologia de Ponta Porã (Fatep) estão reclamando que a instituição privada ainda não disponibilizou o diploma de conclusão do curso de Engenharia Civil, e entraram com uma ação na Justiça na tentativa de solucionar o problema.

Tudo porque as atividades da graduação em questão foi encerrada em 2006 e o Ministério da Educação (MEC) não autoriza o certificado de conclusão para os graduados que continuaram as atividades após o término do curso.

De acordo com William Souza Vilela, que estudou no local entre os anos de 2005 e 2008, a reivindicação dos ex-alunos é legítima, tendo em vista o mercado de trabalho. “Estou há dois anos buscando o que eu tenho de direito, que é o diploma de conclusão de curso e até agora não temos respostas”, disse.

Ele chegou a ficar cinco meses sem trabalhar pela falta do registro no Crea (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura). “O Crea nos liberou mais um ano de registro até que se resolva o problema, mas e o prejuízo pelo tempo em que fiquei parado, como fica?”, questionou William.

Ele e mais nove ex-alunos que estão na mesma situação entraram recentemente com uma ação na Justiça, mas até agora não conseguiram nenhum respaldo. “Entramos com a ação para que o Crea deixe nossos registros ativos até que o problema seja solucionado e também por danos morais, mas até agora não temos novidade”, concluiu.

Outro Lado

Em contato com a diretora da FAP, Labibe Esther Esgaib Kayatti, o Conesul News foi informado de que a situação será resolvida sem que haja prejuízo aos ex-alunos. “Estamos aguardando apenas que seja publicado no Diário Oficial da União (DOU) para emitirmos os diplomas”, contou.

De acordo com Labibe, uma comissão do MEC deveria ter vindo ao município para realizar a avaliação do local. “Era necessário que uma equipe do Ministério da Educação viesse à Ponta Porã para encerrar o curso, mas não tinhamos conhecimento deste detalhe, por isso estamos com esse problema”, disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GUIA LOPES DA LAGUNA
PMA prendem e autuam infrator por pescar utilizando petrecho ilegal, onde a pesca é proibida
OUTUBRO ROSA
Com foco na prevenção, Conselho leva mulheres com deficiência para realizar exames
OPERAÇÃO PROLEPSE
PMA autua 128 infratores, aplica 33 milhões em multas e realiza orientação em 740 propriedades
POLÍTICA
Projeto destina 10% de vagas no Sine para mulher vítima de violência