Menu
Busca segunda, 14 de junho de 2021

Festa de casamento: veja como fazer uma sem se afundar em dívidas

11 maio 2012 - 08h03Por InfoMoney
Se, por um lado, a festa de casamento é a realização de um sonho, um momento especial, por outro, pode afundar qualquer família em dívidas. Fazer um minucioso planejamento financeiro, com o máximo de antecedência, e manter os pés no chão, permite realizar o evento sem que isso te deixe no vermelho por meses.

O primeiro grande conselho é tentar diluir os gastos ao longo dos meses. Assim, se o orçamento do seu casamento ficou em 100 mil reais e você tem dois anos até a data, serão cerca de R$ 4 mil por mês até lá. Ao passo que se planeja casar em seis meses, terá que lidar com mais de R$ 16 mil por mês, o que torna a situação bem mais delicada.

Portanto, o primeiro passo é definir a data. Depois, defina o que você quer. “O casal tem que saber o que quer. Como qualquer outro evento, é preciso definir como será, onde será e para quantas pessoas”, explica o educador financeiro, Mauro Calil. A lista deve ser bem detalhada e o casal tem que se restringir a ela.

Organizadores de festas concordam que com bastante frequência os casais ultrapassam em 20% o valor estimado inicialmente. Tendo isso em mente, você consegue evitar os empréstimos.

Os gastos – do espaço às lembrancinhas

Falando sobre os itens que compõe uma festa de casamento, a especialista em organização de eventos, Flávia Gurgel, dá a dica. Do valor total do casamento, 70% correspondem a 5 itens: o espaço – que será alugado; o bufê - responsável pelas comidas e bebidas não alcoólicas; o som - DJ ou banda; o serviço de foto e vídeo; e a decoração – como os arranjos de mesa.

Os outros 30% ficam com as bebidas alcoólicas; os doces; os convites; e as lembrancinhas. Vale pontuar que o gasto com o vestido de noiva e a viagem de lua de mel não entram nessa conta.

“O vestido é muito pessoal, você pode gastar tanto R$ 2 mil como R$ 20 mil, depende muito da mulher. Ela pode trazer de fora ou querer a primeira prova, o que vai custar muito mais”, diz Flávia. Pessoal ou não, será somado aos gastos totais e ajudam bastante a aumentar a conta total do evento.

Pesquisa de preços & descontos

De volta à festa, após listar os elementos, é preciso fazer muita pesquisa de preço, ser realista e negociar. “O mercado trabalha com uma margem boa, dá pra conseguir muito desconto”, diz Flávia. Saber aproveitar as oportunidades também ajuda a enxugar os gastos.

O local da festa, por exemplo, que é um dos itens mais caros de um casamento, pode variar bastante de preço se o casal decidir que a festa aconteça em dias como sexta, domingo ou em emendas de feriados. “Um local que pedia R$ 35 mil para um sábado, saiu por R$ 22 em um domingo, uma economia de quase 40%”, lembra Flávia.

Cuidado com a decoração

De acordo com Flávia, é justamente nos elementos de decoração da festa que as pessoas se perdem. Com um orçamento limitado o grande conselho é não escolher orquídeas e tulipas para decorar as mesas, não querer oferecer whisky à vontade, nem mandar confeccionar seus convites em papel importado.

Os casais ainda podem considerar contar com a ajuda de uma empresa de organização de eventos. Do lado positivo, os organizadores oferecem um trabalho bastante especializado, e justamente por isso sabem o que costuma dar errado, entendem de negociação e são os melhores clientes dos seus fornecedores.

Logo, podem conseguir mais descontos. Se quiser evitar essa assessoria, procure a ajuda de amigos que casaram recentemente, faça muitos orçamentos e, principalmente, tenha tempo disponível.

Não deixe o emocional te influenciar

O educador financeiro lembra de um importante aspecto que normalmente influencia muito nas escolhas, o emocional. Calil explica que é muito pouco prático e não contribuiu em nada para o orçamento achar que a felicidade do casal está diretamente ligada com a grandiosidade da festa.

Você não precisa oferecer o vinho mais caro, o DJ mais cobiçado, e escolher uma decoração importada. “O emocional fragiliza as pessoas e os vendedores sabem muito bem disso”, lembra Calil. “Tudo que for motivado irracionalmente, tudo que tiver paixão e emoção envolvido vai custar mais caro”.

Nesses momentos, é importante lembrar das suas contas mensais, das dívidas atrasadas, do financiamento da sua casa e o automóvel que ainda não está quitado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE DO HOMEM
SES realiza capacitação para profissionais da Atenção Primária de Saúde
INOCÊNCIA
Polícia Militar prende homem por perturbar a tranquilidade e danificar carro de pai idoso
JUSTIÇA
Barroso suspende quebra de sigilo de dois servidores da Saúde em CPI
POLÍTICA
Lira: relatores da reforma tributária serão definidos nesta semana