Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021

Lista de demitidos tem ex-BBB, presidente de partido e ex-deputados

Lista de demitidos tem ex-BBB, presidente de partido e ex-deputados

04 janeiro 2013 - 16h10
Campograndenews



A lista de demissões do governo do Estado, divulgada na edição de hoje do Diário Oficial, traz ex-deputados, presidente de partido, acusados de ser fantasma e até ex-BBB (Big Brother Brasil).

Na relação com 143 nomes, estão João Alfredo Vieira Carneiro e Arildo Garcia Perrupato, ligados ao PTB e denunciados por não ir ao trabalho, mesmo com o primeiro tendo direito a salário de R$ 7.796,80 (remuneração correspondente ao cargo de DGA-1).

Também foram exonerados o ex-deputado federal Manoel do Carmo Vitório; o ex-deputado estadual Aluísio Borges Gomes; o ex-deputado Paulo Estevão da Cruz e Souza; o ex-prefeito de Inocência, José Arnaldo Ferreira de Melo; o ex-secretário de Fazenda, Thiago Franco Cançado; o ex-presidente da Câmara de Aquidauana, Carlos Gentil Vasconcelos; o ex-presidente da Câmara de Naviraí, Onivair José de Matos.

Na lista de demitidos, ainda está o presidente regional do PRB, Reginaldo de Oliveira Ferreira, conhecido como Pastor Reginaldo, e Tchaia Silva Milas, filha do empresário Emídio Milas, ligado ao PSL.

O PRB apoiou a candidatura de Edson Giroto (PMDB) a prefeito de Campo Grande. No entanto, na eleição para presidente da Câmara, acompanhada da primeira fila pelo governador André Puccinelli (PMDB), o vereador do partido votou na candidata do prefeito Alcides Bernal (PP).

O ex-participante do BBB, Dilson Walkares Rodovalho Filho, o Dilsinho MadMax, também foi exonerado. O ex-deputado estadual Youssif Domingos foi mantido no staff do governador. Contudo, dois assessores ligados a ele foram demitidos: Moraima Batista Porello e Valdeci Celestino Bezerra.

Os cargos vão da classificação de DGA-especial a DGA-7. Na primeira categoria está o ex-prefeito de Campo Grande e ex-senador, Juvêncio César da Fonseca, que também foi demitido. De acordo com o decreto, os exonerados poderão ser reconduzidos ao cargo. Neste caso, o retorno será retroativo a primeiro de janeiro de 2013. Segundo o governador, as demissões serão reavaliadas no prazo de cinco dias.

Puccinelli nega cunho politico. Segundo ele, a decisão é sustentada por três pontos: motivação e eficiência; enxugamento da máquina e projeto Ficha Limpa. A reestruturação da máquina administrativa deve ser concluída no primeiro trimestre de 2013. Ao todo, serão exonerados 1.800 ocupantes de cargo em comissão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Covid-19: país tem 15,5 milhões de casos acumulados e 434,7 mil mortes
TECNOLOGIA
Começa a valer hoje nova política de privacidade do WhatsApp
MEIO AMBIENTE
Polícia Militar Ambiental de Bonito captura seriema com perna quebrada
AGEPEN
Por intermédio da Agepen, primeira certidão de nascimento digital de preso indígena é emitida em MS