Menu
Busca quarta, 04 de agosto de 2021

Mais de 70% da malha rodoviária de MS é considerada regular, ruim ou péssima

26 outubro 2011 - 20h08Por Correio do Estado
Mais de 70% da malha de todo o Mato Grosso do Sul, classifica-se em: regular, ruim e péssima. Os dados constam na 15ª Pesquisa de Rodovias da Confederação Nacional do Transporte, divulgada nesta quarta-feira (26) na sede da CNT, em Brasília (DF), Nesta edição do levantamento foram avaliados mais de 4 mil quilômetros, o que representa 100% da malha pavimentada no Estado.

O objetivo do estudo, realizado pela CNT e pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat), é avaliar as condições das rodovias brasileiras pavimentadas segundo aspectos perceptíveis aos usuários, identificando as condições das vias – em relação ao pavimento, à sinalização e à geometria da via – que afetam o conforto e a segurança.

Para fazer a análise, 17 equipes da CNT percorreram o Brasil durante 39 dias, entre 27 de junho e 4 de agosto deste ano. Os resultados são apresentados por tipo de gestão (pública ou concedida), por tipo de rodovia (federais ou estaduais), por região e por unidade da Federação.

Pavimento

Em relação à qualidade de pavimentação, os resultados da Pesquisa CNT de Rodovias 2011 mostram que em Mato Grosso do Sul 46,7% das estradas apresentam pavimento ótimo; 5,4%, pavimento bom; 38,5%, regular; 8,7%, ruim; e 0,7%, péssimo. Nesse quesito são observados itens como se o pavimento está perfeito, com buracos e se obriga redução da velocidade

De acordo com o estudo, o pavimento das rodovias, em geral, apresenta defeitos que acabam prejudicando a atividade de transporte de cargas e de passageiros no país.

Sinalização

Sobre os aspectos de sinalização, são conferidas as condições das faixas, visibilidade e legibilidade de placas. Da malha analisada, 4,0% tiveram sua sinalização classificada como de ótimo estado; 13% como bom; 42,5%, regular; 25,2%, ruim e 15%, péssimo.

Geometria

A variável geometria da via identifica as soluções de engenharia implantadas nas rodovias para atenuar o impacto das condições de topografia e relevo sobre o deslocamento de veículos, aumentando a segurança dos usuários.

Geometria da via inclui itens como pista simples de mão dupla, faixa adicional de subida, pontes e viadutos, entre muitas outras variáveis. Da extensão pesquisada, 98,7% é de pista simples de mão dupla e 65,6% das rodovias estão com a pintura das faixas desgastada.

O estudo da CNT identificou que da extensão avaliada em Mato Grosso do Sul teve sua geometria classificada como regular, ruim; e péssima.

Investimento

De acordo com a pesquisa, o Estado de Mato Grosso do Sul precisa investir R$ 1,2 bilhão na recuperação de pavimento e R$ 146 milhões na conservação das rodovias.

A pesquisa

A pesquisa é uma avaliação independente das rodovias a partir da perspectiva dos usuários, contemplando a segurança e o desempenho. Com a realização do estudo, a CNT pretende difundir informações sobre a infraestrutura rodoviária, para que políticas setoriais de transporte, projetos privados, programas governamentais e atividades de ensino e pesquisa resultem em ações que promovam o desenvolvimento do transporte rodoviário de cargas e de passageiros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

HABITAÇÃO
Entrega de títulos de moradias proporciona direito e conquista para centenas de sul-mato-grossenses
ECONOMIA
Trabalho remoto gerou economia de R$ 1,4 bi no Executivo federal
ESTADO
Apesar da pandemia, MS terá o maior crescimento do PIB no país
DOURADOS
Ocorrências violência doméstica "evolui" e trio acaba preso por tráfico e furto pela PM