Menu
Busca domingo, 01 de agosto de 2021

Marcelinho recusa assumir como suplente de deputado

04 agosto 2011 - 10h35Por Folha.com
O ex-jogador Marcelinho Carioca se recusou a assumir o mandato de deputado na vaga do titular Abelardo Camarinha (PSB), que ficará afastado quatro meses para tratamento médico.

Suplente de Camarinha, Marcelinho abriu mão da oportunidade porque, segundo ele, “não nasci para ser reserva”.

“Nunca fui reserva na minha vida e não serei agora. Quando assumir, vai ser para ser titular”, afirmou o jogador ao Diário de São Paulo.

O ídolo da torcida corintiana se candidatou nas últimas eleições, mas seus pouco mais de 62 mil votos foram insuficientes para elegê-lo deputado federal.

Além de não querer o cargo por não ter sido eleito, Marcelinho sustenta que possui compromissos profissionais que o impediriam de assumir a cadeira. Ele tem uma viagem para a Itália marcada para tentar encaixar jovens jogadores no país. Além de empresário da bola, o ex-jogador possui também um hotel-fazenda.

“O mandato não é meu e não vou prejudicar minhas empresas por um mandato de quatro meses. Para mim, no momento, não interessa. Não tive como me programar para fazer um bom trabalho”, disse.

Com a recusa de Marcelinho, a vaga de Abelardo Camarinha caiu no colo de Elaine Abissamra, mulher do prefeito de Ferraz de Vasconcelos, Jorge Abissamra. Um dos advogados de Marcelinho é secretário de Negócios Jurídicos na cidade.

O ex-camisa 7 afirmou que não se preocupa com uma eventual reação negativa dos eleitores e disse que não entrará na câmara como um tampão.

“Eles (eleitores) vão reagir naturalmente. Minha bandeira é a inclusão social por meio do esporte e quando estiver lá para valer vou fazer isso. Quando eu entrar é para não sair nunca mais”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Aneel: bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha
BR-262
Homem morre ao ficar preso entre as ferragens após carro cair em valeta de rodovia no MS
POLÍCIA
Drone, drogas e celulares são apreendidos pelo DOF momentos antes de chegarem aos internos da PED
SAÚDE
Covid longa: pacientes 'recuperados' podem ter problemas de raciocínio e memória, aponta pesquisa