Menu
Busca segunda, 14 de junho de 2021

“Meu amor por ele só cresceu”, diz Bruno sobre Marrone após ano turbulento

“Meu amor por ele só cresceu”, diz Bruno sobre Marrone após ano turbulento

16 maio 2012 - 15h25
Uol

Bruno e Marrone gravam, amanhã (17), o 6° DVD da carreira. A gravação acontece no “Espaço das Américas”, em São Paulo.

Com participações de Jorge e Mateus, Michel Teló e George Henrique e Rodrigo, a dupla volta a fazer um registro em vídeo após mais de três anos (em 2008, houve a gravação do “De Volta aos Bares”)

Conversei com o Bruno, ontem pela noite, e ele contou um pouco do novo projeto, de sua relação com Marrone após os acontecimentos turbulentos que marcaram a carreira da dupla em 2011, e da tranquilidade com a qual eles encaram a atual situação da dupla no mercado.

___

No que consiste o projeto do novo DVD?

O DVD é bastante variado, tem muita coisa bacana. São 6 ou 7 inéditas, algumas do último disco, “Juras de Amor”, algumas do CD “Sonhando”, e outras mais antigas que a gente resolveu resgatar, que a gente acabou não regravando em outros discos. Tem coisa do CD “Acorrentado em Você”, coisas mais pra trás. Vou fazer um pot-pourri de “Esqueci”, música antiga nossa, com “Amor a três”, do Chitãozinho e Xororó, música que eu gosto demais. As regravações vão ganhar arranjos novos, vai ter um estilo mais novo, mas de um jeito bom, de um jeito positivo.

E as participações?

George Henrique e Rodrigo são os meninos do nosso escritório, que tão indo bem demais, e que vão participar lá com a gente. Vai ter a participação do Jorge e Mateus também, que são dois caras que gostam muito da gente e de quem a gente gosta muito. Hoje eles são a maior dupla do Brasil, que mais faz show, que mais roda o país. Gosto muito porque eles são muito centrados no trabalho, muito humildes, e também a presença deles engrandece bastante nosso DVD, claro que a gente pensa nisso também.

O Michel Teló está confirmado?

Cara, a gente tentou de todo jeito fazer com que ele cantasse ali, mas ele tem show em Franca e não vai dar pra ele cantar durante o DVD. Nós vamos gravar com ele algumas horas antes, tipo 8 da noite, ainda sem público, mas tá confirmado, ele é uma das participações.

Em 2011, apesar de vocês terem lançado um disco muito elogiado, o ano ficou marcado pelo acidente do Marrone e pelo consequente afastamento dele dos palcos. Vocês já viraram essa página do ano passado?

Rapaz, deu uma baixada na poeira, né? A verdade é que 2011 não foi um ano muito bom, mas eu prefiro enxergar como uma provação, e que graças a Deus deu tudo certo. O Marrone sofreu acidente, mas todos se recuperaram, o que não é fácil pra um acidente de helicóptero. Nós dois crescemos muito com tudo o que aconteceu. A gente tem que entender que o mal ta aí e a gente precisa se proteger, vigiar, e acreditar que somos capazes de superar as coisas ruins.

Seu relacionamento com o Marrone mudou?

O nosso relacionamento atualmente é o melhor que a gente já teve. Eu nunca pensei de verdade em cantar sozinho, essa coisa nunca existiu, mas sem dúvida o susto no ano passado fez com que a gente se aproximasse demais. A gente pode brigar, discutir, mas separar a dupla é algo que nunca passou de verdade pela minha cabeça, mesmo porque eu via vários exemplos que deram errado e tinha cada vez mais certeza de que uma dupla recebe uma missão.

Eu acredito muito em missão, e sei que a minha é a de fazer sucesso com ele, de passar dificuldades com ele, sempre com ele. É como se fosse um carma, algo que não pode viver separado. Ele é alguem com quem eu quero estar junto, com quem eu me sinto bem. Não sei se precisávamos passar por isso, mas já que passamos, sei que é algo que vai marcar profundamente as nossas vidas e temos que tirar o máximo de coisas boas. Meu amor por ele só cresceu, sem dúvida.

As duas músicas trabalhadas do último CD foram muito bem, talvez até acima da expectativa. Vocês, enfim, estão tranquilos com a posição de vocês? Vocês conseguiram se desprender do mercado concorrido da música sertaneja e se posicionar como uma dupla de mais respeito?

Sinceramente, é o momento que eu tô mais tranquilo de toda minha carreira, com certeza, principalmente por ter passado por tudo o que a gente passou. Apesar dos problemas, nós tivemos um CD muito bem aceito, algo que nós gostamos mesmo de ter feito, e nós tivemos duas músicas que ficaram 3 meses como as mais tocadas do país (Juras de Amor e Já não sei mais nada). Tranquilo não quer dizer acomodado, porque a gente jamais pode acomodar, mas eu digo no sentido de feliz. Eu acredito muito no trabalho, e a gente nunca deixou de batalhar em nenhum momento. O mercado continua maluco, cada cidade que a gente vai, tem uma dupla diferente fazendo sucesso. Mas eu acho que de tanto buscar, nós conseguimos nos enquadrar sem deixar de ser Bruno e Marrone.

De duplas consagradas em outras gerações, vocês são os únicos que apostaram em um produtor mais novo que vocês (Dudu Borges), destaque entre as duplas novas. Essa foi uma das grandes sacadas pra dupla permanecer bem no mercado?

Acho que o que tem funcionado bem demais é o choque de informações, de gerações, isso é muito legal. É gostoso ver a quebra do nosso orgulho pra ouvir outra pessoa. Quando você põe no liquidificador as idéias dele, as minhas, as do Marrone e as do nosso escritório, o resultado sai muito bom. No fim, a gente agrada os públicos mais jovens, algo que na verdade nós começamos a fazer logo que estouramos, e ao mesmo tempo não decepcionamos nossos fãs mais fiéis.

Tags: bruno e marrone, dvd, são paulo

Deixe seu Comentário

Leia Também

INOCÊNCIA
Polícia Militar prende homem por perturbar a tranquilidade e danificar carro de pai idoso
JUSTIÇA
Barroso suspende quebra de sigilo de dois servidores da Saúde em CPI
POLÍTICA
Lira: relatores da reforma tributária serão definidos nesta semana
CRIME AMBIENTAL
PMA autua arrendatário em R$ 10 mil por derrubada de árvores para exploração de madeira