Menu
Busca quarta, 04 de agosto de 2021

Micros e pequenas devem gerar 1,3 milhão de empregos neste ano em todo o País

09 outubro 2011 - 21h12Por Estadão
O Brasil precisa limitar a contratação de trabalhadores terceirizados, defendeu nesta quarta-feira o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro João Oreste Dalazen (foto). 'É essencial, para o aprimoramento da legislação brasileira, a responsabilidade solidária e uma limitação aos casos de terceirização', disse o ministro, após audiência pública sobre o tema no TST. Para ele, a terceirização em atividade fim é a negação do direito do trabalho. O presidente do TST considerou a audiência pública, que durou dois dias, um avanço na regulamentação dos serviços terceirizados, além de servir para melhorar o entendimento do Judiciário para julgar os processos que tratam do assunto.

Projeção realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Microempresas (Sebrae) com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged)aponta que as micro e pequenas empresas (MPE) devem gerar 1,3 milhão de empregos formais em 2011. O número representa 76% dos 1,7 milhão de novos postos de trabalho previstos pela entidade para este ano. Responsáveis por empregar 52% de todos trabalhadores com carteira assinada no País, as MPEs contratam em ritmo mais acelerado que as médias e grandes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Estudo diz que CoronaVac eleva resposta em pacientes imunossuprimidos
CORONAVÍRUS
Mato Grosso do Sul recebe 62.230 doses de vacinas contra Covid-19
POLÍTICA
CPI: Marcelo Blanco diz que negociava vacinas para setor privado
EDUCAÇÃO
Processo seletivo da UEMS 2022 terá vagas para vestibular, Sisu e Enem