Menu
Busca sexta, 30 de julho de 2021

PF prende quatro pessoas, apreende carros, dinheiro e cheques em MS

PF prende quatro pessoas, apreende carros, dinheiro e cheques em MS

20 setembro 2011 - 19h38Por PF
Durante a “Operação Limite”, realizada na manhã de ontem (20), a Polícia Federal conseguiu desarticular uma quadrilha interestadual de tráfico de drogas. A PF cumpriu seis mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão em Mato Grosso do Sul e no Paraná. Quatro mandados foram cumpridos em Amambaí (MS), um em Campo Mourão (PR) e outro em Naviraí (MS).

Foram detidos o integrante da quadrilha, conhecido por “Deca”, de 43 anos; o “Canário”, de 45 anos e também “Bigode”, de 31 anos. A esposa de “Deca”, de 37 anos, também teve sua prisão preventiva decretada, pois os policiais encontraram indícios de seu envolvimento por associação ao tráfico.

O nome da ação representa o limite em que o principal suspeito vivia, pois os outros integrantes da quadrilha eram constantemente flagrados, mas o líder conseguia escapar.

Investigações

A quadrilha estava sob investigação há cerca de seis meses. Durante o período, outros sete integrantes da organização foram presos em flagrante transportando drogas para São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, totalizando quase três toneladas de entorpecentes apreendidos.

Hoje foram apreendidos mais cinco carros - um veículo de passeio, um jipe, duas picapes, um veículo esportivo importado -, uma moto, um revólver calibre 38 municiado, R$ 4 mil em espécie e cheques que somam mais de R$ 5 mil.

Participaram da ação, a Delegacia da Polícia Federal em Ponta Porã, em Maringá e em Naviraí, o Ministério Público Estadual em Amambaí e a Polícia Civil do Estado do Mato Grosso do Sul.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Caixa conclui pagamento da quarta parcela do auxílio emergencial
NOTÍCIAS
Corregedoria facilita busca de veículos apreendidos por meio de nova plataforma
ECONOMIA
Receita paga hoje restituições do terceiro lote do Imposto de Renda
PONTA PORÃ
Bilhete ao lado de corpo esquartejado indica próximos "alvos" de criminosos