Menu
Busca segunda, 14 de junho de 2021

Relatório da OMS aponta que 1 em cada 3 adultos tem hipertensão e 1 em cada 10 sofre de diabetes

16 maio 2012 - 16h56Por MSN Saúde
A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou hoje o relatório anual sobre estatísticas sanitárias, que indica que um em cada três adultos no mundo sofrem de hipertensão e um em cada dez tem diabetes. A hipertensão causa cerca de metade de todas as mortes por derrame e problemas cardíacos no mundo.

O estudo da OMS inclui informações de 194 países sobre os altos níveis de pressão sanguínea e da taxa de glicose no sangue de homens e mulheres. De acordo com os dados, em alguns países africanos, metade da população adulta sofre de pressão alta. Sobre o diabetes, enquanto a média global de doentes é de 10%, em alguns países do Pacífico, a incidência é de um terço da população. A OMS lembra que, se não for tratado, o diabetes pode causar doenças cardiovasculares, cegueira e falha renal.

Outra grande preocupação levantada com o estudo é sobre a obesidade. Ties Boerma, diretor do Departamento de Estatísticas Sanitárias e Sistemas da Informação da OMS afirma: "Em todas as regiões do mundo, o número de obesos dobrou entre 1980 e 2008?. E completa: "Hoje, cerca de 500 milhões de pessoas (12% da população mundial) são consideradas obesas".

O nível mais alto de obesidade foi registrado na região das Américas (26% dos adultos) e o mais baixo no Sudeste Asiático (3% dos adultos), sendo a proporção de mulheres com a doença maior do que a de homens, incluindo o impacto que isso representa no risco de diabetes, problemas de coração e câncer.

A desnutrição infantil também é a causa de aproximadamente 35% das mortes de crianças menores de cinco anos, embora tenha sido detectada certa melhora em países em desenvolvimento: entre 1990 e 2010, a proporção de crianças dessas idades que apresentavam peso abaixo do recomendável reduziu de 29% para 18%.

Pesquisadores do Departamento de Estatísticas Sanitárias chegaram à conclusão de que as doenças não contagiosas são atualmente a causa de dois terços das mortes no mundo. Elas incluem diabetes, hipertensão, obesidade e desnutrição infantil. Os resultados também indicam que tratamentos baratos para combater essas doenças reduziram o problema em países desenvolvidos.
Previna-se das doenças crônicas que mais afetam os brasileiros

Câncer, diabetes, doenças circulatórias e doenças respiratórias crônicas: esses quatro grupos de doenças crônicas correspondem a 72% das causas de mortes no Brasil. Os dados são do Ministério da Saúde, que faz campanhas anualmente para alertar a população sobre os fatores de risco que essas doenças têm em comum: tabagismo, álcool, sedentarismo, alimentação com muito açúcar e gordura e com poucos vegetais, além da própria obesidade (doença que combina origem genética e dieta inadequada). Veja algumas dicas fundamentais para evitar essas doenças:
Pratique atividade física regularmente

Aproximadamente 14,2% dos adultos brasileiros são sedentários e 28,2% assistem a três ou mais horas de televisão por dia. Entre os adolescentes, 43,1% são suficientemente ativos e 79,5% gastam mais de duas horas por dia em frente à TV. Segundo um estudo publicado no jornal The Lancet, se uma pessoa sedentária começar a fazer atividade física durante apenas 15 minutos por dia (pouco menos de duas horas por semana), pode reduzir o risco de morte em 14% e aumentar a sua expectativa de vida em três anos. "A prática regular de exercícios ajuda a controlar o peso e melhorar a circulação sanguínea, contribuindo na prevenção de obesidade, hipertensão e outras doenças", afirma o fisiologista Diego Barros, do HCor.
Evite gorduras

O Ministério da Saúde faz um alerta ao alto percentual de pessoas que consomem gordura na carne vermelha (34,2%) e no leite integral (56,4%). É verdade que os dois alimentos são fundamentais fontes de proteínas e outros nutrientes e devem marcar presença no cardápio, mas é preciso escolher cortes magros de carne e leite desnatado. "Também é importante moderar no consumo de carne vermelha, já que ela apresenta muita gordura saturada e pode desencadear doenças cardíacas e outras complicações", afirma a nutricionista Paula Castilho, da Sabor Integral Consultoria em Nutrição.
Beba moderadamente

Quatro ou mais doses para mulheres e cinco ou mais doses para homens em uma única ocasião é considerado um consumo prejudicial de bebida alcoólica. Segundo o questionário Vigitel de 2010, 18% dos adultos brasileiros relataram esse exagero nos últimos 30 dias. Um estudo feito pelo Cancer Research and Prevention, na Itália, aponta que o álcool está relacionado a 14 tipos de câncer.

"De acordo com o Dietary Guidelines for Americans, relatório divulgado pelos departamentos de Agricultura e de Serviços Humanos e da Saúde dos Estados Unidos, a recomendação é de até uma dose de álcool por dia para as mulheres e até duas para homens", conta a psiquiatra Camila Silveira, coordenadora do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool. Uma dose-padrão de bebida alcoólica (350 ml de cerveja, 150 ml de vinho ou 50 ml de destilado) contém, aproximadamente, 10-14 g de álcool puro.
Xô, cigarro!

O cigarro causa 95% dos casos de câncer de boca, 70% dos cânceres de pulmão, 42% das doenças respiratórias crônicas (como DPOC) e cerca de 10% das doenças do aparelho circulatório do mundo. Diversos estudos alertam que o fumo passivo também é perigoso. Pesquisadores do Haukeland University Hospital, na Noruega, por exemplo, constataram que quem convive com fumantes têm mais risco de desenvolver doenças pulmonares anos mais tarde.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE DO HOMEM
SES realiza capacitação para profissionais da Atenção Primária de Saúde
INOCÊNCIA
Polícia Militar prende homem por perturbar a tranquilidade e danificar carro de pai idoso
JUSTIÇA
Barroso suspende quebra de sigilo de dois servidores da Saúde em CPI
POLÍTICA
Lira: relatores da reforma tributária serão definidos nesta semana