Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021

São Paulo vence em jogo 1.000 de Rogério Ceni

São Paulo vence em jogo 1.000 de Rogério Ceni

07 setembro 2011 - 19h33Por Gazeta Esportiva
Feriado de comemoração da Independência do Brasil, a quarta-feira, 7 de setembro, estará na memória de Rogério Ceni pela marca histórica de mil jogos pelo São Paulo e todo o carinho recebido dos fãs. E a festa no Morumbi foi completa para mais de 63 mil espectadores, já que o Tricolor superou o Atlético-MG por 2 a 1 e alcança, mesmo de forma provisória, a liderança do Campeonato Brasileiro.

O São Paulo chegou a 41 pontos na classificação e ultrapassa o Corinthians, que tem 40 e irá entrar em campo somente nesta quinta-feira contra o Flamengo. Já o Atlético-MG sofre a 13ª derrota e continua na zona de rebaixamento do torneio nacional, com 21 pontos.

Na festa de Ceni, a equipe do técnico Adilson Batista deu a impressão de que poderia massacrar o Galo ao abrir o placar com 25 segundos de jogo, através de Lucas. Mas o Atlético-MG assustou ao empatar pouco depois com Réver, de cabeça. Na etapa final, Dagoberto definiu o êxito dos donos da casa, que acabaram com uma sequência de três tropeços no Morumbi.

No Campeonato Brasileiro, o São Paulo volta a jogar no domingo, às 18 horas, contra o Grêmio, no estádio Olímpico, em Porto Alegre. No mesmo dia e horário, o Atlético-MG, por sua vez, enfrenta o Bahia, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).

O jogo - O São Paulo começou a mil por hora no jogo histórico para Rogério Ceni e abriu o placar com menos de 30 segundos. Em jogada pela direita com Casemiro, Lucas ganhou na velocidade da zaga pela direita, invadiu a área e tocou com categoria, no canto direito de Renan Ribeiro. A torcida, que já estava inflamada pelas homenagens ao seu arqueiro, foi ao delírio.

Mas a festa não poderia ser perfeita. Aos 10 minutos, o Atlético-MG reagiu e alcançou o empate em um cochilo da retaguarda tricolor. Na cobrança de escanteio da esquerda de Daniel Carvalho, Réver ganhou a disputa pelo alto e cabeceou sem chance para Ceni, no canto direito.

A partir daí, a partida se complicou. O São Paulo tinha a posse de bola na maioria do tempo e insistia nas jogadas pelo meio, fato que facilitava a marcação dos visitantes. Ainda no primeiro tempo, torcedores já pediam a entrada de Rivaldo. O resultado não mudou até o intervalo.

"A gente sabe que está faltando algo mais para chegarmos ao gol do Atlético-MG", confirmou o meia-atacante Cícero, após ouvir algumas vaias das arquibancadas.

No início do segundo tempo, os gritos pela entrada de Rivaldo continuavam, mas Dagoberto resolveu mostrar sua capacidade de fazer a diferença em campo. Aos sete minutos, o camisa 25 minutos recebeu na meia esquerda, cortou para dentro e mandou uma bomba de longe, firme, que entrou no canto direito de Renan Ribeiro.

Mesmo em vantagem, Adilson Batista se convenceu de que era necessário melhorar a criação no meio-campo e cumpriu o desejo do povo: Rivaldo entrou na vaga de Cícero. Enquanto isso, do lado do Atlético-MG, a novidade também vinha na base da experiência, com a entrada de Magno Alves.

Após colocar Henrique no lugar do desgastado Lucas, Adilson percebeu o avanço das linhas do adversário. Quando o Atlético-MG ensaiava uma pressão, o árbitro Pericles Bassols mostrou cartão vermelho direto a Leonardo Silva por falta em Carlinhos Paraíba. A expulsão acabou com as pretensões do Galo. Ao fim do jogo, todos os jogadores foram abraçar o astro do dia: Rogério
Ceni

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Ação global em defesa do clima reúne mais de 20 países
Evento terá shows simultâneos ao redor do mundo
SAÚDE
Comissão geral debate nesta terça-feira políticas públicas de apoio a vítimas de Covid-19
MEIO AMBIENTE
Governadores avançam na criação de consórcio em defesa do desenvolvimento sustentável
SAÚDE
Brasil recebe lote de 4,5 milhões de doses da vacina da Pfizer