Menu
Busca terça, 03 de agosto de 2021

Seleção de vôlei iguala pior campanha da era Zé Roberto

Seleção de vôlei iguala pior campanha da era Zé Roberto

19 novembro 2011 - 07h10
Folha.com

Acostumado a conduzir suas equipes ao pódio, o bicampeão olímpico como técnico José Roberto Guimarães enfrentou uma de suas experiências mais amargas à frente da seleção feminina nesta Copa do Mundo, no Japão.

Teve que prorrogar o sonho de classificação para a Olimpíada de Londres-2012 e viu a seleção feminina ficar pela primeira vez sem uma medalha na Copa desde 1991.

A equipe brasileira até venceu a República Dominicana ontem por 3 sets a 0 (25/21, 25/10 e 25/17), em sua última partida no torneio, mas encerrou sua participação em um modesto quinto lugar.

Levando em consideração só a era Zé Roberto, que se iniciou em 2003, a campanha também foi desastrosa. Ao lado do Grand Prix de 2007, esta foi a pior colocação obtida pela seleção feminina em um torneio com o técnico.

Com Zé Roberto, a equipe ficou sem medalhas só em 15% dos torneios disputados.

Nos últimos quatro anos, permaneceu incólume na primeira posição do ranking, mas a supremacia chegou ao fim com o desempenho irregular na Copa do Mundo.

Vice-campeã, a seleção dos EUA superou o Brasil na lista feminina e é a nova líder.

O treinador brasileiro evitou fazer críticas duras à campanha de sua equipe. Atribuiu a queda de rendimento ao crescimento das rivais.

"Não diria que o desempenho foi ruim, e sim regular. Algumas equipes evoluíram, como é o caso da China, da Alemanha e da Itália, que não foram bem no Grand Prix. O Japão jogou melhor em casa. A Sérvia também me chamou muito a atenção", disse.

"O nível do feminino está muito equilibrado. Os próximos Jogos Olímpicos prometem ser os mais equilibrados dos últimos anos, mas vejo os EUA um pouco à frente das outras equipes", completou.

Zé Roberto lembrou também das dificuldades enfrentadas pela equipe devido à ausência de três jogadoras lesionadas --Natália, Jaqueline e Fernanda Garay.

E voltou a criticar duramente o sistema de pontuação da Copa, o mesmo que será usado pela primeira vez na próxima edição da Superliga.

Até 2010, vitórias em torneios internacionais valiam dois pontos, e derrotas, um. A partir deste ano, as vitórias por 3 sets a 0 e 3 a 1 valem três pontos. Em caso de 3 sets a 2, o vencedor ganha dois pontos, e o perdedor, um.

Nos dois sistemas, o Brasil encerraria a Copa em quinto.

"Você tem que ser Einstein para entender o sistema de pontos. Deveria ser claro, como no futebol", declarou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Polícia Militar apreende 61 kg de maconha em veículo furtado no estado de São Paulo
BRASIL
Vendas de automóveis têm queda de 8,4% em julho comparado a 2020
BRASILÂNDIA
Polícia Civil estoura entreposto de cigarros contrabandeados do Paraguai e prende casal
PROSSEGUIR
Riedel e Verruck explicam medidas para a retomada econômica e falam da geração de empregos