terça, 23 de julho de 2024

Seminário aborda alternativas sustentáveis para a agricultura

24 agosto 2011 - 14h40
Seminário aborda alternativas sustentáveis para a agricultura

Divulgação (TP)

A Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul) em conjunto com o Grupo Gestor do Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC) em Mato Grosso do Sul realiza o Seminário de Sensibilização do Programa ABC - Agricultura de Baixa Emissão de Carbono. O evento acontece nesta quarta-feira (24), das 8h30 às 18h, no auditório da entidade.



Instituído pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em junho de 2010,o programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC) busca aliar a produção de alimentos e bioenergia com redução dos gases de efeito estufa, e assim, difundir a agricultura sustentável.



As ações do Programa ABC, que estão inseridas no Plano Agrícola e Pecuário 2010/2011, incentivam processos tecnológicos que diminuem os efeitos dos gases de efeito estufa no campo. De acordo com o Mapa, o plano prevê a aplicação de R$ 2 bilhões em técnicas e garante recursos a agricultores e cooperativas, com limite de financiamento de R$ 1 milhão por beneficiário. O crédito será financiado com taxa de juros de 5,5% ao ano e prazo de reembolso de 12 anos.

Entre as iniciativas básicas do Programa ABC está a recuperação de pastos degradados, que visa transformar as terras desgastadas em áreas produtivas para a produção de alimentos, fibra, carne e floresta. Atualmente, a degradação das pastagens é o maior problema dos sistemas de produção, estimando-se que 80% da área de pastagens do Brasil Central, apresenta algum estágio de degradação.

A redução da produtividade das pastagens vem dificultando o nível de produção da pecuária de corte em Mato Grosso do Sul. “O MS é um estado eminentemente produtor e a pastagem é a principal fonte de alimento dos animais. Mas nas regiões Norte e do Bolsão podemos constatar maior degradação. São vários os fatores que contribuem pra isso como a seca e solo, mas principalmente o manejo inadequado e a falta de reposição de nutrientes”, explica o pesquisador da Embrapa Gado de Corte e palestrante do evento, Manuel Macedo.



O manejo inadequado das pastagens está relacionado principalmente com a prática generalizada do excesso de lotação. “Muitos produtores optam por uma taxa de lotação superior a que a fazenda teria condições. Por isso, é importante o produtor fazer um planejamento e ter toda a contabilidade zootécnica e econômica da propriedade para apostar na longevidade do pasto, e recorrer a suplementação nas épocas mais difíceis”, enfatiza Macedo.



“Quanto mais rápido o produtor se atentar, mais rápido será o estágio de reversão da pastagem e menos custoso ao bolso dele”, destaca o engenheiro agrônomo.



O objetivo do Seminário de Sensibilização do Programa ABC - Agricultura de Baixa Emissão de Carbono é despertar nos participantes o interesse em fomentar as iniciativas básicas dentro das propriedades. “Queremos motivar e treinar produtores e técnicos sobre o programa. A informação e troca de experiências são o que garante o sucesso das nossas metas”, afirma o assessor técnico da Famasul para assuntos agrícolas, Lucas Galvan.



O Seminário de Sensibilização do Programa ABC - Agricultura de Baixa Emissão de Carbono é uma realização da Famasul, Seprotur, OCB/MS, Fetagri-MS, Banco do Brasil, Embrapa e Governo Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Início de operação da fábrica de Ribas do Rio Pardo consolida MS como vale da celulose

ECONOMIA

Mercado voluntário de carbono no Brasil recua em 2023

Dados são do Observatório de Bioeconomia da FGV

BRASIL

Conab recebe mais R$ 115 milhões para apoio à comercialização da agricultura familiar

DIREITOS HUMANOS

Cimi: políticas públicas ainda não frearam violência contra indígenas

Relatório cita fortalecimento e retomada de ações de fiscalização