Menu
Busca domingo, 28 de novembro de 2021

Urubu foi atropelado em pleno vôo no Rio de Janeiro

19 agosto 2011 - 07h45
Flamengo volta a perder por três gols de diferença após pouco mais de nove meses

Uol

O Flamengo só havia sofrido uma derrota na temporada (2 a 1 para o Ceará, dia 5 de maio, pelas quartas de final da Copa do Brasil) até entrar em campo para enfrentar o Atlético-GO, na noite da última quinta-feira, no Engenhão. Ao deixar o gramado após uma goleada por 4 a 1, o time experimentou a sensação que não vivia desde o dia 13 de novembro de 2010.

Na ocasião, já comandado por Vanderlei Luxemburgo, o Rubro-Negro foi goleado pelo Atlético-MG, na Arena do Jacaré, pelo mesmo placar. Mais de nove meses depois, o sabor desagradável voltou com tudo.

Mesmo com o revés, o time manteve a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, com 34 pontos. Ciente do péssimo resultado, o treinador rubro-negro acredita que os pontos perdidos para o Atlético-GO são irrecuperáveis.

“Esta derrota vai fazer falta. Jogando em casa é sempre ruim. Agora, o Corinthians está com três pontos na frente e com uma vitória a mais. Porém, ainda tem muita coisa para acontecer. Em oito meses, foram só duas derrotas. Isso tem que ser levado em conta. É muito difícil se manter tão concentrado em uma sequência desgastante de jogos. Dá uma relaxada, acontece”, explicou.

O fato é que o Flamengo não tem muito tempo para lamentar a goleada. Na tarde desta sexta-feira, o elenco se reapresenta no CT Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro, para iniciar a preparação para o jogo do próximo domingo, contra o Internacional, às 16h, no Beira-Rio, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após cumprirem suspensão contra o Atlético-GO, Ronaldinho e Renato Abreu retornam normalmente ao time.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Educação financeira é estimulada no projeto "Essências" na EE Jorge Amado
SAÚDE
Pesquisa busca voluntários para testar tratamento para câncer de pênis
ESTADO
Agepen conclui formação de alunos das áreas de Administração, Finanças, Assistência e Perícia
SAÚDE
Covid-19: o que se sabe até agora da variante Ômicron