Menu
Busca quinta, 13 de maio de 2021

Com PMDB, prefeitura desconta empréstimo e não repassa a banco

04 janeiro 2013 - 09h30Por Noticiadade
Funcionários públicos de Sidrolândia começaram a procurar o Ministério Público para oficializar denúncia de que a prefeitura teria supostamente realizado crime de improbidade administrativa.

Os funcionários argumentam que a prefeitura, nos meses de novembro e dezembro de 2012 descontou as parcelas do empréstimo consignado, e de acordo com o extrato de pagamento de uma funcionária, o documento comprova o desconto em folha. Porém o mesmo não teria sido repassado à instituição financeira.

De acordo com juristas especializados no assunto, apesar de os descontos autorizados e efetuados nos vencimentos dos servidores públicos, se a importância correspondente não é repassada ao banco que liberou o empréstimo sob consignação, a omissão é correspondente ao gestor, retardando indevidamente ato de ofício, pode caracterizar nitidamente o crime de improbidade administrativa.

O não repasse dos descontos relativo às operações de empréstimos consignados às instituições financeiras, para atender qualquer outro fim, fere o princípio da moralidade administrativa. Isso porque, enquanto os servidores acreditam que o poder público repassa para as instituições os valores mensalmente descontados de seus contracheques, destinados a saldarem os débitos decorrentes dos empréstimos realizados. Os funcionários descobriram, após receber cartas de cobrança, que estão com pendência junto à financeira. Assim fica caracterizada a má administração dos recursos públicos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Mesmo com pandemia, mercado de veículos usados é aquecido e alegação de venda cresce 16% no Estado
LEI
Faturas poderão divulgar mensagem sobre doação de sangue
PONTA PORÃ
PM prende homem com MP em aberto
ECONOMIA
Trabalhadores nascidos em outubro podem sacar auxílio emergencial