Menu
Busca domingo, 17 de outubro de 2021
Jardim Itatiaia
PARANHOS

Ação conjunta das Polícias Civis do MS e DF prende líder de facção criminosa foragido em Paranhos

01 maio 2021 - 09h00Por PC-MS

Ação conjunta entres as Polícias Civis do Mato Grosso do Sul e Distrito Federal resultou na prisão de Wilian Peres Rodrigues, conhecido como Wilinha, chefe de uma facção criminosa. A prisão foi feita nesta sexta-feira (30), na cidade de Paranhos (MS). 

Ele estava foragido desde 2019 e acerca de 20 dias, a Polícia Civil do DF solicitou apoio à PCMS, para efetuar a prisão do foragido.

Contra Wilinha havia quatro mandados de prisão preventiva expedidos pela justiça do Distrito Federal. A organização criminosa a qual o criminoso faz parte é responsável por diversos homicídios, tráfico de drogas e de armas, além de lavagem de dinheiro.

O levantamento realizado pelo DIP - Departamento de Inteligência da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul apontou o local em que Wilinha se encontrava e o período em que o mesmo estaria na residência. 

Ele foi preso em uma ação conjunta que envolveu o Setor de Inteligência, Garras  - Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assalto e Sequestro e policiais da Decor/DF, e não reagiu a ação policial. 

Na casa, os policiais encontraram uma pistola calibre 9 mm, com carregador estendido e grande quantidade de munições.

Conforme apuração, o grupo utiliza pistolas de grosso calibre, com acessórios que aumentam o poder de fogo, como seletor de rajadas e carregadores estendidos. 

Parte desse material foi apreendido, com membros da organização, em janeiro deste ano.

A investigação aponta ainda que Wilian Peres Rodrigues passou por algumas cidades do Brasil até se estabelecer na fronteira entre Brasil e Paraguai. A suspeita é de que, de lá, ele enviava drogas e armas para o grupo, no Distrito Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
PMA de Dourados prende e autua dois pescadores por pesca e transporte de pescado ilegal
SAÚDE
Linfoma de Hodgkin é um tipo de câncer raro e que tem cura
Tratamento exige quimioterapia intravenosa
CULTURA
Com prêmios de até R$ 8 mil, Festival Universitário da Canção revela novos talentos da música de MS
GERAL
Cães e gatos podem ter vírus da covid-19, mas não transmitem a doença