Menu
Busca quarta, 04 de agosto de 2021

Empresário é suspeito de matar a mulher a facadas

30 setembro 2011 - 15h50
Empresário é suspeito de matar a mulher a facadas

Folha

O empresário Jorge Fudimura, 44, proprietário de um tradicional restaurante japonês de Orlândia (365 km de São Paulo), é suspeito de matar a facadas a mulher na noite de anteontem, na casa onde o casal morava, no centro da cidade.

Valquíria de Melo Fudimura, 40, era proprietária de uma loja de bijuterias e foi morta com pelo menos quatro golpes de faca, de acordo com a perícia.

Segundo o delegado que investiga o caso, Luiz Carlos Silveira, Fudimura procurou um sobrinho e avisou que havia "feito uma besteira". Após isso, ele fugiu.

O crime teria acontecido por volta das 19h, mas o sobrinho só foi avisado cerca de três horas depois.

Familiares acionaram a Polícia Civil. Silveira afirmou que encontrou a mulher já sem vida em cima do sofá, com ferimentos na região do tórax, na altura do coração.

Segundo ele, havia sinais de luta corporal pela casa. Informações de familiares dadas ao delegado apontam o ciúme como motivo do crime.

"Irei começar a ouvir o depoimento de familiares na semana que vem, vou respeitar esse momento de luto", afirmou o delegado. O casal tem dois filhos e estaria em processo de separação.

PRISÃO PREVENTIVA

O delegado disse que estuda pedir a prisão preventiva do empresário por homicídio qualificado. "Preciso reunir informações para embasar esse pedido à Justiça."

Ontem, um advogado esteve na delegacia em nome de Fudimura e disse que o cliente irá se entregar. No entanto, não deu previsão de quando isso ocorreria. "Acredito que seja breve", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

HABITAÇÃO
Entrega de títulos de moradias proporciona direito e conquista para centenas de sul-mato-grossenses
ECONOMIA
Trabalho remoto gerou economia de R$ 1,4 bi no Executivo federal
ESTADO
Apesar da pandemia, MS terá o maior crescimento do PIB no país
DOURADOS
Ocorrências violência doméstica "evolui" e trio acaba preso por tráfico e furto pela PM