terça, 16 de abril de 2024
DOURADOS

Justiça converte em preventiva prisões de idosa e jovem flagrados com armas

06 outubro 2022 - 08h00Por Dourados News

Durante audiência de custódia realizada na tarde desta quarta-feira (5/10) pela 2ª Vara Criminal de Dourados, o juiz Deyvis Ecco decretou as prisões preventivas de Geneia Vitor de Araújo, 62, e Wesley Lima Santos, 20. 

Eles foram alvos de operação desencadeada pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) na terça-feira (4/10). Na casa da idosa, na rua Rouxinol, BNH IV Plano, os policiais civis encontraram 15 armas de fogo avaliadas em aproximadamente R$ 200 mil. 

Ambos continuam presos em celas da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário). Antes da audiência de custódia, a defesa deles havia entrado com pedido de liberdade, negado pelo magistrado.

Na argumentação do juiz, ele relata que os delitos relacionados ao flagrante são graves e menciona a participação dos envolvidos com a facção criminosa. 

“Se trata de delitos cuja gravidade em concreto encontra-se devidamente demonstrada através das informações constantes nos autos de que os autuados integram a organização criminosa conhecida como "PCC" e a quantidade de armamento apreendida durante a entrada da casa da flagrada Geneia Vítor de Araújo (15 artefatos), o que, por si, exige postura mais rígida do Estado-juiz na eventual concessão de benefícios como a liberdade provisória (...). Diante do exposto, e por tudo mais que consta do auto de prisão em flagrante, converto a prisão em flagrante e decreto a prisão preventiva de Geneia Vitor de Araujo e Wesley Lima Santos”, diz trechos da decisão.

O caso

Conforme mostrado nesta manhã pelo Dourados News, as armas chegaram do Paraguai e foram armazenadas na residência de Geneia, mãe de um interno da PED (Penitenciária Estadual de Dourados) e integrante de facção criminosa, enquanto Wesley seria o responsável em fazer a ‘segurança’ do local. 

De acordo com o delegado Erasmo Cubas, os investigadores receberam informações apontando que logo após o primeiro turno das eleições, realizado no domingo em todo o Brasil, uma significativa remessa de armas de fogo chegaria na cidade após cruzar a região de fronteira. 

“A gente trabalha há muito tempo com investigações sobre este ponto de armazenamento de armas de fogo de facção criminosa ligada a penitenciárias com abrangência nacional e internacional. A gente vinha monitorando”, explicou o delegado à reportagem nesta manhã. 

Cubas disse ainda que os policiais perceberam uma intensificação na movimentação na casa justamente de pessoas interessadas nas armas e preparou o melhor momento para incursão no imóvel. 

Na residência os investigadores do SIG encontraram quatro revólveres calibre 38, um calibre 357, além de dez pistolas de calibre .45, 9 mm, .380 e .40. 

Ainda conforme o delegado, as investigações indicam que as armas eram vendidas ou alugadas a pessoas envolvidas com diversos tipos de crimes, entre eles roubos, acertos de contas e desavenças pessoais, mas principalmente para imposição de domínio de território por parte da facção criminosa.  

“É a grande finalidade deste grupo. Estabelecer uma certa dominância e também executar crimes contra a vida referente ao fortalecimento da facção criminosa”, explicou.

Os dois vão responder por posse de arma de fogo de calibre restrito - já que as armas estavam raspadas, com numeração suprimidas, e também por associação criminosa. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

50+

Funtrab e rede supermercadista lançam 'Feirão da Empregabilidade' para contratação de profissionais

DETRAN-MS

Curso especial para condutores infratores ultrapassa 90% de aprovação

DESENVOLVIMENTO

Com R$ 3,2 bilhões, MS teve aumento de 227% nos investimentos públicos nos últimos três anos

TRAGÉDIA

Mãe e filho morrem e três ficam feridos em acidente no domingo de Páscoa