Menu
Busca sábado, 31 de julho de 2021
Lançamento Village do Bosque
CRIME AMBIENTAL

PMA prende e autua comerciante paranaense em R$ 2,3 mil voltando de pescaria predatória no Pantanal

13 junho 2021 - 10h00Por PM-MS

Um comerciante paranaense foi detido no município de Mundo Novo, na rodovia BR 163, quando retornava de uma pescaria ilegal no rio Paraguai, no município de Corumbá e Policiais Militares Ambientais de Mundo Novo, que trabalham na operação Hórus, o abordaram ontem (12) no final da tarde, em um veículo Toyota Hillux e, em uma caixa isotérmica, foram encontrados 26 exemplares de peixes nativos, sendo um da espécie pintado, um da espécie cachara, dois da espécie barbado e 22 da espécie mandi, pesando 16 kg.

O homem, residente em Toledo (PR), afirmou que voltava de uma pescaria no rio Paraguai, onde havia capturado os exemplares de peixes. Como poderia capturar e abater somente a quantidade de um exemplar de peixe nativo e mais cinco exemplares de piranhas e não havia piranha entre os peixes, foi caracterizado o crime ambiental, tendo em vista que ele só poderia estar transportando um exemplar. Foram apreendidos o pescado, a caixa e o veículo.

O infrator recebeu voz de prisão e foi conduzido à delegacia de Polícia Civil de Mundo Novo, juntamente com o material apreendido, onde ele foi autuado em flagrante por crime ambiental de pesca e transporte de produto da pesca predatória, por captura de pescado acima da quantidade permitida e saiu depois de pagar fiança de R$ 1.200,00. A pena para o crime é de um a três anos de detenção. O infrator também foi autuado administrativamente e multado em R$ 2.320,00. O pescado será doado para instituições filantrópicas, depois de periciado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Aneel: bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha
BR-262
Homem morre ao ficar preso entre as ferragens após carro cair em valeta de rodovia no MS
POLÍCIA
Drone, drogas e celulares são apreendidos pelo DOF momentos antes de chegarem aos internos da PED
SAÚDE
Covid longa: pacientes 'recuperados' podem ter problemas de raciocínio e memória, aponta pesquisa