Menu
Busca domingo, 16 de maio de 2021

Brasil tem PIB forte e cresce acima dos países ricos em 2010

02 setembro 2011 - 14h10
Brasil tem PIB forte e cresce acima dos países ricos em 2010

Folha.com

O crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) do segundo trimestre de 2011 coloca o Brasil em posição favorável em relação às maiores economias do mundo --que vivem períodos de crescimentos pífios, ou mesmo variações negativas, desde a eclosão da crise mundial em 2008.

De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (2) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o PIB brasileiro cresceu 0,8% no segundo trimestre deste ano, ante alta de 1,2% no trimestre imediatamente anterior (dado revisado).


O crescimento deste período ainda é influenciado pelo aquecimento da economia em 2010, pautada por uma política monetária de estímulo ao consumo --com uma série de subsídios e isenção de impostos iniciada no pós-crise.


Enquanto a maioria das economias desenvolvidas ainda engatinhava na recuperação, o Brasil registrou no ano passado o maior crescimento desde 1986, chegando a 7,5%. Em 2009, no entanto, a variação da economia brasileira foi negativa.

Nos Estados Unidos, a economia registrou alta de 0,3% número inicialmente divulgado, de 1,9%, fortemente revisado pelo Departamento de Comércio dos Estados Unidos. Essa revisão para baixo não era esperada por analistas.

A mudança nos números é atribuída principalmente a uma redução maior do que a prevista anteriormente nos gastos do governo, tanto em nível estadual quanto local. Em 2009, o PIB do país registrou retração de 2,4%.

Na União Europeia, que enfrenta problemas graças ao alto endividamento público de alguns de seus países-membros, a expansão foi de 0,2% no segundo trimestre, mesma variação do PIB da zona do euro (grupo de 17 países do bloco que usam o euro como moeda única).

Entre os principais países do bloco, a Alemanha registrou variação positiva, porém baixa no período, alta de apenas 0,1% no segundo trimestre, ante alta de 1,3% no primeiro trimestre.

A Grécia, que passa por uma crise fiscal e recebeu por duas vezes ajuda financeira da UE e do FMI (Fundo Monetário Internacional) para conter seus deficit, registrou quedas sucessivas no PIB e não tem divulgado os números, de acordo com a Eurostat, a agência de estatísticas da Europa.

O Japão, que vive um momento de deflação e estouro da dívida pública, também registrou deficit, de 0,3% no segundo trimestre, ante recuo de 0,9% no trimestre anterior.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
PM apreende veículo com mais de 130 kg. de droga
JUSTIÇA
Ministério vai retomar implantação de sistema de apoio ao consumidor
SAÚDE
Queiroga diz que ministério estuda campanha de testagem contra covid
CIDADE
Detran de Dourados terá novo bloco para campanhas educativas e Central de Exames