Menu
Busca domingo, 16 de maio de 2021

Economia para pagamento de juros da dívida chega a R$ 12,398 bilhões

Economia para pagamento de juros da dívida chega a R$ 12,398 bilhões

30 novembro 2012 - 15h00
Agência Brasil

O superávit primário, esforço para o pagamento de juros da dívida, do setor público consolidado – governos federal, estaduais e municipais e empresas estatais – chegou a R$ 12,398 bilhões, em outubro, segundo dados do Banco Central (BC), divulgados hoje (30). No mesmo período de 2011, o resultado foi R$ 13,936 bilhões, e em setembro deste ano em R$ 1,591 bilhão.

De janeiro a outubro, o superávit primário ficou em R$ 88,214 bilhões, ante R$ 118,572 bilhões de igual período do ano passado. Em 12 meses encerrados em outubro, o resultado ficou em R$ 98,352 bilhões, o que representa 2,25% de tudo o que o país produz – Produto Interno Bruto (PIB).

No último dia 20, o governo anunciou o abatimento de R$ 25,6 bilhões da meta de superávit primário, o que reduziu de R$ 139,8 bilhões para R$ 114,2 bilhões o volume a ser economizado pela União, pelos estados e municípios neste ano.

O abatimento só foi possível porque a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) autoriza que gastos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) sejam usados para diminuir a meta de esforço fiscal. No entanto, o volume final a ser abatido pode ser maior se os estados e municípios não alcançarem a meta de economia. Nesse caso, o governo federal terá de reduzir ainda mais o esforço fiscal para compensar a parte não economizada pelas prefeituras e pelos governos estaduais.

Em outubro, estados e municípios fizeram superávit primário de R$ 2,412 bilhões e nos dez meses do ano economizaram R$ 22,913 bilhões. Em 12 meses encerrados em outubro, o superávit primário dos governos regionais ficou em R$ 25,029 bilhões. A projeção de superávit primário para as prefeituras e os governos estaduais, este ano, é R$ 42,8 bilhões.

O Governo Central (Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência Social) registrou superávit primário de R$ 10,061 bilhões, em outubro, e de R$ 64,060 bilhões nos dez meses do ano. Em 12 meses encerrados em outubro, o superávit primário ficou em R$ 71,371 bilhões.

As empresas estatais, excluídos os grupos Petrobras e Eletrobras, registraram déficit primário de R$ 75 milhões, em outubro. Nos dez meses do ano, as empresas registraram superávit primário de R$ 1,240 bilhão e em 12 meses encerrados em outubro de R$ 1,952 bilhão.

O esforço fiscal do setor público não foi suficiente para cobrir os gastos com os juros que incidem sobre a dívida. Esses juros chegaram a R$ 17,005 bilhões, em outubro, e acumularam R$ 178,430 bilhões, nos dez meses do ano, ante R$ 20,258 bilhões e R$ 197,732 bilhões, respectivamente em iguais períodos de 2011.

Com isso, o déficit nominal, formado pelo resultado primário e as despesas com juros, ficou em R$ 4,607 bilhões, no mês passado, e em R$ 90,215 bilhões, de janeiro a outubro. Em outubro do ano passado, o déficit nominal ficou em R$ 6,322 bilhões, e nos dez meses de 2011 em R$ 79,159 bilhões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Covid-19: país tem 15,5 milhões de casos acumulados e 434,7 mil mortes
TECNOLOGIA
Começa a valer hoje nova política de privacidade do WhatsApp
MEIO AMBIENTE
Polícia Militar Ambiental de Bonito captura seriema com perna quebrada
AGEPEN
Por intermédio da Agepen, primeira certidão de nascimento digital de preso indígena é emitida em MS