Menu
Busca domingo, 01 de agosto de 2021
Faculdade columbia - Matrículas abertas 2021
AGENDA

No Codesul, Reinaldo Azambuja propõe unificação de atas de preços de insumos e mutirão pós-pandemia

15 junho 2021 - 17h30Por Portal Governo MS

No encontro dos governadores do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), Reinaldo Azambuja sugeriu, nesta terça-feira (15), uma ata nacional de registros de preços, pelo Ministério da Saúde, para compra de insumos e equipamentos e uma pactuação nacional para reduzir a fila de cirurgias eletivas represadas após a pandemia de Covid-19. Ele participou do evento no Palácio Piratini, sede do governo do Rio Grande do Sul.

“Acho que o Codesul tem um papel. O que podemos sugerir? Falei com o ministro Marcelo Queiroga esses dias. Está muito difícil essa questão dos insumos, principalmente kit intubação. Propor uma ata nacional, de registro de preços pelo Ministério, orquestrada e organizada, que possa ter a aderência de todos os estados brasileiros com os insumos básicos do kit intubação e outros insumos que são usados. Os laboratórios se aproveitam desse momento, pressionando estados e municípios e pressionando valores das compras. Se o Ministério unificasse atas de registros de preços nacionalmente facilitaria muito a tomada de decisão na compra de insumos, equipamentos, EPIs e tantas outras coisas”, explicou Reinaldo Azambuja.

Ainda conforme o governador, Mato Grosso do Sul está vivendo a quarta onda da pandemia. Ele lembrou dos programas criados no Estado desde janeiro do ano passado, quando foi implantado o Centro de Operações de Emergências (COE-MS); da ajuda humanitária oferecida no início da pandemia e agora retribuída com pacientes transferidos para Rondônia e São Paulo; e defendeu a necessidade de ampliar a vacinação contra a Covid-19.

Reinaldo Azambuja elogiou ainda a escolha da diretora do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), Rosana Leite de Melo, para uma secretaria específica no Ministério da Saúde para o enfrentamento à pandemia.

“O ministro Marcelo Queiroga nos pediu para cedermos a nossa diretora do maior hospital de referência de Covid lá em Mato Grosso do Sul, o Hospital Regional. Na sexta-feira, nós autorizamos. Ela vai ser agora a nova chefe da Secretaria Especial de Covid. É uma pessoa muito equilibrada, que acredita no SUS, que o sistema de saúde tem que ter uma plataforma unificada dos estados. Eu disse a ela: vai com Deus e espero que você consiga implementar medidas de regramento e de procedimentos a nível nacional”, destacou.

BRDE

O governador Reinaldo Azambuja participou ainda da comemoração dos 60 anos do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), que é a principal referência no fomento de caráter público de produtores rurais e empresas da Região Sul.

"Para o desenvolvimento regional, o BRDE é importante pelos financiamentos, oportunidades e investimentos para os estados da região Sul e Mato Grosso do Sul.  Coincidentemente, antes de vir para cá fui para Chapecó, para uma reunião com a Aurora e 10 cooperativas e ouvi testemunho de todas ali dizendo: agradeça ao BRDE, somos o que somos graças ao banco", contou.

O BRDE é uma instituição financeira pública de fomento, controlada pelos três estados do Sul. Mato Grosso do Sul não é acionista do banco, mas no Estado ele opera com recursos do FCO (projetos de até R$ 10 milhões) e do FDCO (a partir de R$ 30 milhões).

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Aneel: bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha
BR-262
Homem morre ao ficar preso entre as ferragens após carro cair em valeta de rodovia no MS
POLÍCIA
Drone, drogas e celulares são apreendidos pelo DOF momentos antes de chegarem aos internos da PED
SAÚDE
Covid longa: pacientes 'recuperados' podem ter problemas de raciocínio e memória, aponta pesquisa